Bloqueio botao direito mouse

domingo, 2 de agosto de 2020

CONSUMIDORES DE MARCAS DE LUXO ADQUIREM NOVOS HÁBITOS


A pandemia de covid-19 alterou os hábitos dos consumidores de alto padrão no Brasil. De acordo com um levantamento inédito realizado pela Hibou, empresa de pesquisa e monitoramento de mercado e consumo, os critérios de escolha e formato de compras dentro da indústria de luxo mudaram para sempre. 

Mais da metade dos consumidores de marcas de luxo (64%) já adotou o hábito digital para realizar suas compras. 42% afirmaram que serão cada vez mais multicanal em sua nova rotina, enquanto apenas 27% pretendem manter o hábito antigo de comprar nas lojas físicas. 

Dados da pesquisa também revelaram que preocupações com a saúde aumentaram. Para a grande maioria dos clientes do nicho (91%), ser transparente com os procedimentos de higiene de espaços e peças e com o cuidado da equipe são fatores que colocam a marca na lista das favoritas ou não. 

“O luxo se baseia em qualidade e estilo, e por isso vai continuar existindo, mas as marcas agora precisam se engajar com mais proximidade e trazer consigo mais responsabilidade social e ambiental – fatores que os consumidores estão mais de olho”, explica Ligia Mello, coordenadora da pesquisa. 

Os consumidores de luxo não prezam apenas pelo nome; para 64%, as empresas favoritas precisam colaborar com a geração de empregos e ajudar pessoas do grupo de risco durante a pandemia. 

Metodologia 

O estudo partiu de um cruzamento de algumas pesquisas proprietárias e análises personalizadas dentro do mercado de alto padrão. A Hibou entrevistou em maio 500 consumidores brasileiros da classe social A, sendo 78% mulheres e 22% homens, heavy buyers de roupas e acessórios de luxo. O questionário foi aplicado em formato digital. 

Fonte: Money Times

sábado, 25 de julho de 2020

ROLEX DAYTONA QUEBRA RECORDE E SE TORNA O RELÓGIO MAIS CARO DO MUNDO




O relógio Rolex Daytona de referência 16516 foi comprado por US$ 3,27 milhões (aproximadamente R$ 17,77 milhões) no leilão de relógios da Sotheby’s, em Hong Kong, ultrapassando sua alta estimativa de pré-venda de US$ 1 milhão (R$ 5,43 milhões).

Então, o que torna o relógio tão especial? 
De acordo com a casa de leilões, é o único Daytona de platina conhecido com um mostrador feito em pedra lápis-lazúli. Portanto, o relógio, que foi fabricado em 1999, pode ser um dos poucos relógios de platina produzidos naquele ano.

“Enquanto a Rolex produzia Daytonas automáticos apenas em aço inoxidável, ouro amarelo, ouro branco e aço e ouro há muitos anos, agora foi confirmado que um cliente de muita sorte recebeu uma obra-prima única em 1999, e há rumores de que Patrick Heiniger, o famoso CEO da Rolex, usava um Daytona automático de platina ”, escreveu a Sotheby’s em seu site.

O relógio também apresenta o famoso movimento automático do calibre 4030 com 31 jóias, que foi baseado no movimento Zenith El Primero. De fato, a Rolex substituiu esse movimento Zenith um ano depois em 2000 pelo seu próprio calibre automático de cronógrafo interno.

Além disso, o relógio tem o exclusivo mostrador lápis-lazúli é ajustado a uma pulseira de couro turquesa brilhante com um fecho dobrável de platina.

Por fim, a caixa de 40 mm é fabricada inteiramente a partir de metais preciosos e possui uma parte traseira aparafusada clássica. Também está gravado com “XII 1998” e possui o número A171132.

sábado, 4 de julho de 2020

LOUIS VUITTON ABRE PRIMEIRA FLAGSHIP MASCULINA EM TÓQUIO





Louis Vuitton, se prepara para abrir sua primeira flagship masculina em Tóquio. 

A Louis Vuitton Shibuya Men's Store em Miyashita Park, programada para 6 de julho, certamente não será como qualquer outra que o grupo de luxo tenha supervisionado, uma vez que é necessário fazer uma reserva pelo site da empresa para entrar na loja nas primeiras semanas de abertura (até 27 de julho). 

A flagship modernista abrange dois andares e, de acordo com a necessidade de flexibilidade e experiências no varejo de luxo moderno, um terço do piso térreo consiste em um espaço pop-up. 

A marca usará essa área como um local para realizar exposições e outros eventos especiais. 

A nova loja oferece toda a linha masculina da Louis Vuitton, além de coleções especiais de acessórios, calçados e moda, e também incluirá joias e itens exclusivos.

sexta-feira, 12 de junho de 2020

VESPA 946 CHRISTIAN DIOR - LIMITED EDITION


Fundadas no mesmo ano, em 1946, tanto a marca italiana como a casa parisiense dedicada à alta costura estão ligadas pela forma como desejam inspirar as pessoas a ver o mundo de uma forma alegre e diferente, onde a criatividade individual é exponenciada.

É com base nesta ideia que nasce agora a Vespa 946 Christian Dior, uma edição especial e limitada da icónica scooter italiana. 

A estrutura monocoque da 946 mantém as suas linhas elegantes, mas passa a contar com gráficos que permitem sublinhar as sua imagem intemporal. Do lado direito encontramos o gráfico “Christian Dior Paris”, mas do lado esquerdo o cliente pode personalizar o grafismo e usar a sua criatividade. 

Esta 946 Christian Dior foi criada tendo por base a Vespa 946 que foi apresentada em 2012. Maria Grazia Chiuri, diretora criativa da coleção feminina Dior, imaginou a scooter italiana e aplicou o conhecido monograma Dior no suporte do assento, que por sua vez, e tal como os punhos, está coberto em pele verdadeira e em tom azul. 

Para além disso, a Vespa criou uma “top case” especifica para esta edição especial, com a Dior a desenhar o padrão que cobre toda a superfície deste componente que encaixa no suporte de “top case” da Vespa 946 Christian Dior. 

E como estamos a falar de uma scooter que está na moda (literalmente!), a Vespa e a Dior colaboraram para criar um capacete e uma mala que combinam com as linhas e gráficos da scooter. 

Michele Colannino, diretor de produto do grupo Piaggio 
“Nestes tempos sem precedentes, é ótimo podermos sonhar com um futuro melhor. A Casa de Dior abriu as suas portas em Paris em 1946, no mesmo ano em que a Vespa se estreou em Itália. A nova 946 celebra esse aniversário e a nossa herança. Atualmente, como no passado, passámos por um período negro e agora juntamos forças para celebrar a alegria de viver. Esta parceria entre a Vespa e a Dior representa a celebração da beleza”. 

Maria Grazia Chiuri, diretora criativa da coleção feminina para a Casa de Dior 
“Eu estava muito entusiasmada com este projeto com a Vespa. A Vespa está ligada à minha cidade, Roma. Está ligada à liberdade de nos movermos pela cidade com facilidade. Tenho imensas memórias com uma Vespa. É como eu e o meu marido costumávamos andar em Roma. É um símbolo italiano que está ligado à minha vida pessoal, e agora também à profissional na Dior”.

quinta-feira, 28 de maio de 2020

FIAT DIVULGA DOCUMENTÁRIO DO NOVO 500 ELÉTRICO


Para seu principal lançamento do ano, a montadora italiana Fiat apostou pesado no design e se uniu a outras gigantes conterrâneas para apresentar o novo Fiat 500. 

Batizado de Fiat 500 "La Prima" ("A Primeira" ), o modelo, que é o primeiro da marca projetado do zero para ser totalmente elétrico, ganhou customizações assinadas pela Armani, Bvlgari e pela gigante Kartell, comandada por Claudio Luti, presidente do Salão do Móvel de Milão.


KARTELL

Inspirado na luminária Kabuki, um dos ícones da marca assinado por Ferruccio Laviani, o modelo 500 da Kartell traz o grafismo da peça nos retrovisores, grade frontal, rodas e painel.

A preocupação ambiental é outra aposta do exemplar, que usa policarbonato reciclado na grade, rodas e carcaça do espelho, além de poliéster reciclado nas forrações internas em tecido.

A pintura com tinta eco-cromo (sem adição de cromo) em azul vibrante é outro destaque e contrasta com o interior em tonalidade clara, mas que também faz referência ao azul Kartell, derivado do azul Klein, uma das cores características da marca.




BVLGARI

O tom vibrante também foi a aposta da Bvlgari para o seu B.500 by Bvlgari Mai Troppo (Nunca é Demais, em tradução livre).

Sua pintura metálica no Imperial Saffron, tom alaranjado icônico da marca, é inspirada no pôr do sol romano e obtida por meio da integração de pó de ouro resultante da fabricação das joias à tinta.




GIORGIO ARMANI

O terceiro modelo exclusivo do novo Fiat 500 tem a assinatura da Giorgio Armani, que reproduziu no acabamento da carroceria um microchevron impresso a laser, que traz a tridimensionalidade do tecido à lataria. O efeito ganha ainda mais destaque com a pintura efeito seda fosco no tom verde Giorgio.

O interior apresenta painel com detalhe em madeira e alumínio e bancos revestidos em couro natural certificado com processamento controlado pela Poltrona Frau, outra gigante do design italiano.

Os modelos customizados assinados serão leiloados e a renda será destinada a organizações de defesa do meio ambiente.



 A previsão é a de que o Fiat 500 “La Prima” chegue às lojas brasileiras em 2021.

Fonte: Gazeta do povo

Assista o documentário " ONE SHOT"

 

quinta-feira, 7 de maio de 2020

HOMEM MAIS RICO DA EUROPA PERDE US$ 30 BILHÕES



Bernard Arnault, CEO da empresa que controla as marcas Louis Vutton e Hennessy, caiu para o quarto lugar na lista de mais ricos do mundo 

Em janeiro deste ano, Bernard Arnault ocupou por um curto período o posto de homem mais rico do mundo. Hoje, ele tenta conter o prejuízo causado pela crise do coronavírus. Segundo dados da Bloomberg, o CEO da LVMH, holding que controla marcas de luxo como Louis Vutton, Moet & Chandon e Hennessy, perdeu mais de US$ 30 bilhões desde o início da pandemia. 

Para efeito de comparação, Jeff Bezos, CEO da Amazon, viu sua fortuna crescer no mesmo valor nesse período. O que antes era uma briga acirrada pelo posto de mais rico do mundo virou uma goleada do Bezos: US$ 142 bilhões contra US$ 74,6 bilhões de Arnault, que caiu para quarto na lista, atrás de Bill Gates e Mark Zuckerberg. 

O prejuízo é causado pela desvalorização vertiginosa das ações da LVMH durante a pandemia. O preço dos papéis caiu mais de 19% desde março. No próximo balanço financeiro, a empresa deve cortar a previsão de lucro em pelo menos 50%. 

O ranking da Forbes ainda coloca o bilionário francês em terceiro na lista, à frente de Zuckerberg, mas considera toda a família de Arnault na conta. Segundo a revista, a família Arnault tem patrimônio de US$ 90 bilhões. 

A LVMH não é a única marca de luxo que está com problemas. A Kering, dona da marca Gucci, viu suas ações desvalorizarem 25%. 

A crise chegou num momento delicado para a LVMH. O conglomerado havia recentemente negociado a compra da Tiffany & Co. por US$ 16 bilhões, maior valor da história do setor de luxo. Segundo a Bloomberg, a LVMH não cogita renegociar ou desistir da compra. 

Apesar da queda, muitos acreditam que não é hora de duvidar de Arnault. "Você pode dividir os maiores bilionários do mundo entre os que controlam riscos com sucesso e os que tomam riscos com sucesso. Arnault é um que toma riscos," disse Pauline Brown, ex-presidente do conselho da LVMH Americas, a Bloomberg. "Quando ele sente o momento e o potencial a longo prazo, ele usa os recursos que tem para correr atrás de forma agressiva." 

Fonte: Época Negócios

segunda-feira, 16 de março de 2020

CORONAVÍRUS - CONGLOMERADO DE LUXO LVMH IRÁ FABRICAR GEL DESINFETANTE


O grupo LVMH anunciou que, a partir desta segunda-feira (16), as fábricas de cosméticos de marcas como Louis Vuitton, Dior Parfums, Guerlain e Givenchy Parfums deixa de fabricar produtos para o mercado e investe apenas em álcool gel. 

O produto será distribuído gratuitamente para os hospitais da França na tentativa de ajudar no combate à pandemia que assola a Europa. 

“Dado o risco de falta de álcool gel na França, Bernard Arnault instruiu a divisão de perfumes e cosméticos da LVMH para preparar as fábricas para produzir quantidades substanciais de álcool gel para serem entregues às autoridades públicas”, diz o comunicado do conglomerado francês.