Bloqueio botao direito mouse

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

PALÁCIO DE VERSALHES GANHA HOTEL BOUTIQUE





Mais de 10 milhões de pessoas visitam por ano o Palácio de Versalhes, próximo a Paris, na França. 

Inaugurado em 1634, o opulente castelo real possui mais de 2.300 cômodos por onde os visitantes podem passear em visita ao museu para conhecer um pouco da vida dos reis Luís 14, 15 e 16 – os três monarcas que moraram no local. 

Este ano, o passeio receberá um upgrade: a possibilidade de reviver o dia a dia de Luís 16 e sua esposa Maria Antonieta, com direito à dormir de frente para o Jardim Orangerie. 

A novidade é o novo empreendimento do Palácio, o Le Grand Contrôle, um hotel boutique que será inaugurado durante a primavera europeia. 

O estabelecimento ocupará o Petit Trianon – o local favorito de Maria Antonieta no Palácio –, três prédios de 1681 assinados por Jules-Hardouin Mansart, o arquiteto favorito de Luís 14. 

Os edifícios foram construídos para abrigar o que seria o Ministério das Finanças da época. De 1857 a 2004, o complexo recebeu a sede da Guarda Nacional, e desde então estava abandonado. 

Sem verba para a restauração, o Palácio de Versalhes anunciou uma competição para criar um hotel no espaço. A empresa LOV Hotels venceu com projeto de restauro e renovação assinado pelo arquiteto e designer de interiores francês Christophe Tollemer. 

A obra de restauração já está em seu quarto ano de execução e tem como referência o ano 1788, data do último inventário realizado no castelo. 

A reforma é supervisionada por um comitê científico para garantir a autenticidade das obras de arte, móveis e artefatos utilizados na decoração. 

Para complementar, artesãos respeitados da França foram chamados para recriar alguns detalhes originais, como o apainelamento e o piso de madeira. 

O Le Grand Contrôle contará com 14 suítes de luxo, um restaurante de alta gastronomia comandado pelo chef Alain Ducasse, spa e uma piscina indoor de 15 metros de comprimento. 

Como costume na época, as acomodações maiores ocuparão os andares inferiores, incluíndo a Suíte Máster com 120 m², vista para o Jardim Orangerie e uma generosa área de estar. 

Também no primeiro piso estará 'O Grande Salão', um espaço inspiracional para relaxar, ler um livro ou simplesmente apreciar a grandiosidade proveniente do século 18. 

Apesar da inauguração estar prevista para os próximos meses, ainda não foram divulgadas fotos os interiores do hotel, apenas esboços dos quartos. 

De acordo com informações oficiais, as diárias no Le Grand Contrôle custarão a partir de R$ 7.128, na cotação atual, com café da manhã incluso. 

As reservas estarão disponíveis a partir de 3 de fevereiro. 

Fonte: Casa Vogue

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

AIRBUS E ASTON MARTIN SE UNEM PARA LANÇAR HELICÓPTERO – SPECIAL EDITION






O helicóptero ACH130 da Airbus já é, por natureza, um objeto de desejo de todo amante de aeronaves de luxo. 

O modelo pode voar por um pouco mais de quatro horas seguidas e possui um motor sofisticado e moderno, o Arriel 2D, que chega a 952 shp (Shaft Horsepower) durante a decolagem e a 856 shp em velocidade em cruzeiro. 

Assim como os carros da Aston Martin, o novo ACH130 seguirá o perfil de produtos feitos sob medida. A edição especial do helicóptero virá equipada com interior projetado por quatro designers e opções de acabamento exclusivas, que remetem aos carros da marca inglesa. 

A parceria entre as duas marcas começou há mais de um ano, para garantir que todos os detalhes do projeto fossem aperfeiçoados antes de sua inserção no mercado. 

A aeronave é decorada com elementos Aston Martin, como as asas que marcam o logotipo icônico da marca, aparecendo no couro dos assentos, com acabamento sofisticado em brogue (um ornamento da costura em couro) – que também é encontrado no carro Aston Martin DB11. 

O cliente ainda poderá escolher entre combinações de quatro cores externas e quatro cores internas. 

O exterior pode variar entre Stirling Green, Arizona, Xenon Grey e Ultramarine Black. 

Já o interior, totalmente revestido de camurça, tem uma paleta com as cores: Pure Black, Oxford Tan, Cormorant e Ivory. 

O ACH130 Aston Martin Edition está disponível para encomendas, com entregas previstas para o primeiro trimestre de 2020.

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

BUGATTI CHIRON BY HERMÈS







O modelo, único no mundo, foi encomendado por um magnata americano e será apresentado ao público este mês 

Um Bugatti Chiron cravou, em setembro, a marca de 490,5 km/h, feito que fez dele o carro de produção mais veloz do mundo. Mas se sua pegada é menos potência e mais luxo, vale contemplar esta outra versão para lá de exclusiva do supercarro. 

A marca Hermès trabalhou junto com a fabricante para desenvolver um modelo especial do Chiron para Manny Khoshbin, magnata imobiliário da Califórnia. 

Destaques do veículo incluem padronagens no aerofólio e detalhes do interior que remetem à Hermés, além de uma placa comemorativa que descreve o caráter único do veículo e, claro, o pigmento que cobre todo o Chiron, seu painel e estofamento - feitos em couro e casimira. 

Trata-se do Hermès Craie, um tom creme que é exclusivo para esta edição do veículo. 

 Este Chiron, claro, não está à venda. Mas ele será exibido ao público neste sábado (4) como parte de uma exposição dos carros luxuosos de Khoshbin. 

Esta não é a primeira vez que Bugatti e Hermès juntam forças - a dobradinha aconteceu também em 2008 para uma edição especial do Veyton -, mas se a collab te deixou curioso, vale conferir outras parcerias entre o mundo da moda e da velocidade. 

 Fonte: GQ Brasil

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

PANERAI, IWC E JAEGER-LECOULTRE VÃO ENCERRAR SUAS ATIVIDADES NO BRASIL


Depois de muitos meses de especulação, é dado como certo o fechamento das boutiques das marcas de alta relojoaria Panerai, IWC Schaffhausen e Jaeger-LeCoultre no Brasil, todas no Shopping JK Iguatemi, em São Paulo. 

As lojas encerrarão as operações no dia 31 de dezembro. O grupo suíço Richemont, detentor das marcas, não se pronunciou – o silêncio é praxe no mercado de luxo em situações como essa. 

Os relógios dessas marcas continuarão sendo vendidos pelos grandes retailers no Brasil, como Frattina, Grifith e Sara Joias. Os trabalhos de marketing e relacionamento com clientes brasileiros, portanto, devem continuar. 

A saída das grifes faz parte de um movimento maior de fuga das marcas de luxo do país. 

No segmento de relojoaria, Piaget e Vacheron Constantin, também do Richemont, fecharam em 2017 – ambas tinham lojas no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo. 

No mercado de moda, Kate Spade, Lanvin, Ralph Lauren e Versace também encerraram as operações por aqui. 

A Aston Martin se despediu do Brasil depois de vender apenas 2 carros. Panerai, IWC e Jaeger chegaram ao Brasil em 2012, com a inauguração do JK Iguatemi. 

São marcas centenárias, reconhecidas pela alta qualidade e belo design, que produzem seus próprios movimentos e investem muito em ações de marketing, com celebridades como embaixadoras. Todas têm uma clientela bastante fiel, mesmo no Brasil. 

A carga tributária é apontada, nas conversas informais, para a razão do descontentamento do grupo com o país. 

No segmento, os impostos comem em média 60% do valor da venda final das peças. 

As marcas ficam então no impasse de arcar com parte do prejuízo para manter posição no país ou repassar pelo menos parte desse custo para o cliente. 

Quem acaba sofrendo mais com o custo Brasil são as marcas que decidem atuar por conta própria. Algumas grifes optam por parcerias com empresas locais. 

O Grupo JHSF, do Shopping Cidade Jardim, ajudou a trazer recentemente a Balmain e a Chloé. Hermès e Prada também chegaram com o grupo, e depois assumiram a operação. 

O grupo Richemont, que possui 20 marcas, como Montblanc e Cartier, atua em quatro segmentos: joalheria, relógios, comércio eletrônico e acessórios de moda e couro. 

No ano passado, o conglomerado faturou 14 bilhões de euros, um aumento de 27% em relação ao período anterior. Joalherias respondem por mais da metade desse número. Já as relojoarias são responsáveis por 21% do faturamento. 

No total, a região das Américas é a que mais cresce – 41% sobre o ano passado. Mas em volume quem mais vende é a região da Ásia e Pacífico. 

Fonte: EXAME

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

GRUPO LVMH COMPRA A TIFFANY & CO. POR US$ 16.2 BILHÕES


A LVMH anunciou hoje o fechamento de um acordo definitivo para comprar a rede de joalherias americana Tiffany & Co., por cerca de US$ 16,2 bilhões. 

O conglomerado francês ofereceu pagar US$ 135 por ação da Tiffany, em dinheiro. A oferta inicial do conglomerado francês foi feita em outubro, por 120 dólares por ação. 

Em comunicado, a LVMH disse que a aquisição vai reforçar sua presença nos Estados Unidos e no setor joalheiro 

Essa é a maior aquisição do grupo LVMH, que é dono de 75 marcas, incluindo Bulgari, Louis Vuitton e Christian Dior. Suas marcas estão divididas em cinco diferentes mercados: vinhos e destilados, moda e produtos de couro, perfumes e cosméticos, relógios e joias, varejo e outros. 

O grupo alcançou 46,8 bilhões de euros em vendas em 2018, quase 10 bilhões de euros a mais que há dois anos, e possui mais de 4.590 lojas em todo o mundo. e 156 mil funcionários. 

Bernard Arnault assumiu o LVMH na década de 1980 quando o grupo ainda se chamava Boussac e estava à beira da falência, tendo sido comprado pelo governo francês. Na primeira metade de 2019, as vendas gerais do grupo francês subiram 12%, e o faturamento foi de 25,1 bilhões de euros, 15% maior que no primeiro semestre de 2018. 

A boa fase do grupo LVMH em 2019 fez Arnault tornar-se o terceiro homem mais rico do mundo. Com 47,17% das ações do LVMH (e mais de 60% dos direitos de voto), o patrimônio de Arnault é de atualmente 100 bilhões de dólares, ante 86 bilhões de dólares de Warren Buffett. 

Já a Tiffany, maior joalheria do mundo, faturou 4,4 bilhões de dólares no ano passado. “Por mais de 180 anos, Tiffany foi sinônimo de elegância, design inovador, fina habilidade e excelência criativa”, diz o grupo francês em comunicado. 

“Seus diamantes extraordinários são apreciados por gerações e seus lendários designs de jóias são a referência máxima no mundo global de jóias. Até a Tiffany Blue Box é reconhecida mundialmente como um ícone de refinamento e conveniência.” 

Por volta das 6h30 (de Brasília), a ação da LVMH subia cerca de 2,2% na Bolsa de Paris. 

Potencial para expansão 

A aquisição pode ajudar as duas companhias a expandir para novos territórios e segmentos. 

“Há sinergias significativas em marketing e mercado imobiliário (lojas) que poderiam ser desbloqueadas”, escreveu o analista Edward Yruma, do banco americano KeyBanc, quando a primeira proposta foi feita, em outubro. 

O negócio pode ajudar o grupo LVMH a expandir sua atuação no segmento de joias, assim como já aconteceu em outros negócios. A LVMH já comprou em 2011 a merca de joias italiana Bulgari por 3,7 bilhões de euros, em um negócio que seu controlador, Bernard Arnault, chamou de “transformacional”. 

Fundada em 1881, a Bulgari diversificou o portfólio de produtos de luxo da LVMH e, unindo seu renome à grande cadeia do grupo francês, conseguiu expandir sua atuação em mercados emergentes e na Ásia. 

Pelo lado da Tiffany, a parceria com o LVMH poderia ajudá-la a expandir sua atuação para novos mercados fora dos Estados Unidos, sua terra-natal. O LVMH vem expandindo sua atuação na Ásia, sobretudo na China, que, em vista de seu alto crescimento econômico, tornou-se a galinha dos ovos de ouro do mercado de luxo no mundo. 

Segunda maior economia do mundo, a China vem puxando o crescimento de produtos de luxo nos últimos anos e já tem um terço desse mercado, segundo a consultoria Bain & Co. 

A Tiffany não quer mais ser conhecida como uma marca de luxo. No início da semana, o presidente da empresa, Alessandro Bogliolo, disse que tenta evitar a palavra “luxo”. No lugar, prefere que a Tiffany seja conhecida como uma marca “legendária”. Com a aquisição bilionária, esse futuro pode estar próximo.

Fonte: EXAME

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

MONTBLANC E PIRELLI PROMOVEM LANÇAMENTO EM SÃO PAULO



A Montblanc e a Pirelli anunciaram uma collab para a criação de novas malas de viagem de edição limitada. 

Para promover o lançamento, as marcas oferecerão um gostinho da emoção de pilotar um carro de Fórmula 1 com um simulador de carro de corrida, que ficará ao lado da Flagship Montblanc do Shopping Iguatemi de São Paulo, neste fim de semana prolongado, de 15 a 17 de novembro. 

A ação coincide com o Grande Prêmio do Brasil, que acontecerá no autódromo de Interlagos, a penúltima das 21 corridas da temporada de F1. 

Assim, durante os três dias de prova, os fãs de automobilismo poderão viver as emoções de pilotar um carro de corrida no simulador. O equipamento reproduz o jogo “F1 2019” com o traçado da pista da corrida de domingo. 

A coleção de malas Montblanc x Pirelli é composta por duas malas compactas em policarbonato azul, com acabamento em couro emborrachado preto, medindo 38 x 55 x 23 cm (volume 37 L), tamanho geralmente aceito pelas companhias aéreas para transporte em cabine. 

Um dos modelos oferece um bolso frontal, ideal para quem viaja a negócios e precisa de compartimentos separados para laptops e pastas. 

"Esta parceria reúne dois ícones europeus na busca da máxima inovação para oferecer companheiros de viagem projetados para manter os clientes das duas marcas conectados com o mundo. Mobilidade, desempenho e design são essenciais quando se trata de viagens de negócios", diz Michel Cheval, Managing Director da Montblanc Brasil. 

Fonte: GQ Brasil

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

CHLOÉ INAUGURA PRIMEIRA LOJA NO BRASIL





A marca francesa Chloé celebrou a abertura da sua primeira loja na América Latina, localizada no Shopping Cidade Jardim em São Paulo, reunindo fashionistas. 

Elementos em mármore, madeira e metal dourado escovado se misturam às paredes rosa do espaço. 

A expectativa gira em torno da coleção recém-desfilada na semana de moda de Paris, que apresenta o jogo entre personalidades femininas e silhuetas classicamente masculinas, num delicado equilíbrio entre fluidez e alfaiataria em tons de branco e bege, preto, marinho, verde, vermelho jaspe, cinza lavanda e rosa envelhecido.

É possível encontrar a coleção de inverno 2019/20 da marca comandada por Natacha Ramsay-Levi, além de artigos de couro, eyewear e a linha de joias da label. 

Passe por lá e confira as novidades.