Bloqueio botao direito mouse

quarta-feira, 6 de abril de 2022

RIMOWA E PORSCHE UNEM FORÇAS PARA TRADUZIR SEUS DESIGNS ICÔNICOS E AS HERANÇAS ALEMÃS


 

Conhecidas por sua incessante busca pela perfeição, RIMOWA e a Porsche colocam o design funcional, a inovação técnica e a alta performance no coração do seu negócio, mas sempre se mantendo verdadeiros à sua rica herança cultural.

A edição especial RIMOWA x Porsche Hand-Carry Case Pepita celebra estes legados formidáveis através da homenagem aos elementos mais icônicos dos designs das marcas. Feita em Colônia, na Alemanha, é fabricada a partir do renomado alumínio frisado da RIMOWA, junto a detalhes do design da Porsche 911 primeira geração. Pode ser facilmente guardada no bagageiro de um carro Porsche durante os passeios de final-de-semana, graças ao seu design altamente funcional sem rodas, que também inclui fechos aprovadas pelo TSA e uma alça de alumínio brilhante.

O Porsche 911 de primeira geração - que teve origem em 1963 como o "Porsche 901" e desde então se tornou um dos modelos de maior sucesso na venda de carros esportivos - é o ícone, servindo como a inspiração da RIMOWA para linguagem visual da case de alumínio Hand-Carry. Acentuada com detalhes de alto brilho que remetem ao acabamento prata espelhado de um Porsche 911 primeira-geração, ela apresenta tiras pretas de couro fixadas por suportes polidos em forma de escudos que ecoam as tradicionais tiras do capô, e um autêntico escudo da Porsche posicionado na frente da case.

O interior da peça traz um bolso em U com zíper e uma tira em X, similar ao cinto de segurança para manter os pertences seguros durante a viagem. O Tecido Houndstooth Pepita, os detalhes em couro preto, o escudo Porsche impresso e uma etiqueta de instrução amarela semelhante à encontrada no porta-malas da Porsche completam a estética inspirada no 911.

"Estamos muito felizes em ver esta importante colaboração unir duas lendárias marcas alemãs", disse Emelie De Vitis, CMO da RIMOWA. "A nossa parceria celebra a qualidade inigualável do design alemão, uma vez que ambos colocamos a nossa riqueza de conhecimento em uma peça única."

"A parceria com a RIMOWA foi natural para ambos os times desde o início - para mim, isto é sempre um indicador de que os nossos valores se alinham de uma forma excelente", acrescentou Robert Ader, CMO da Porsche AG. "Esperamos que o resultado entusiasme muito os fãs de ambas as marcas"

Esta colaboração especial está disponível em quantidades extremamente limitadas com apenas 911 peças numeradas produzidas, tornando-a uma peça ideal para colecionadores e aficionados do design. A case exclusiva também será complementada com um conjunto de adesivos RIMOWA x Porsche Pepita que traz um trio de adesivos retrôs, vendido separadamente.

A partir do dia 21 de abril, a RIMOWA x Porsche Hand-Carry Case Pepita e o conjunto de adesivos, estarão disponíveis nas lojas selecionadas da RIMOWA e revendedoras da Porsche ao redor do mundo e online.

segunda-feira, 28 de março de 2022

BVLGARI LANÇA RELÓGIO MAIS FINO DO MUNDO

 



A joalheria italiana Bulgari apresentou em Roma, na Itália, o Octo Finissimo Ultra, o relógio mecânico mais fino do mundo.

Com seus sete recordes mundiais, a destreza técnica, forma única e design moderno incomparável fizeram a coleção Octo, da Bulgari, se tornar um ícone da relojoaria mundial, e para continuar celebrando este acessório, a marca apresentou uma nova e inédita versão. 

Agora, o oitavo recorde chega por meio do Octo Finissimo Ultra, que, graças aos seus 1,8 mm, mais espesso que uma folha de papel de desenho, se torna o relógio mais fino do mundo, desencadeando uma sensação física e emocional inigualável quando é usado. 

Arte, ciência e tecnologia foram entrelaçados na superfície do acessório, que foi virtualmente reimaginado no cenário magistral para uma produção arquitetônica contemporânea.

Graças ao QR Code gravado na roda de catraca do relógio, os dez primeiros proprietários do Octo Finissimo Ultra receberão uma arte exclusiva NFT que garante a autenticidade e a singularidade do relógio por meio da tecnologia blockchain. 

sexta-feira, 18 de março de 2022

DIA MUNDIAL DO SONO – OS COLCHÕES MAIS CAROS DO MUNDO

 

 

A ciência já comprovou que uma noite bem dormida tem impacto sobre nossa saúde física e mental, por isso investir em rituais e produtos que proporcionem um sono de qualidade tem seu valor. Há quem leve essa máxima a sério e desembolse centenas de milhares de reais – ou mais – em colchões de alto luxo e tecnologia.

Hoje (18) é o Dia Mundial do Sono, e resolvemos comemorar a data reunindo cinco das mais caras marcas de colchão do mundo. Alguns deles são feitos artesanalmente e demandam centenas de horas de serviço especializados. Os materiais são naturais como crina de cavalo e cashmere. Alguns têm 30 anos de garantia. Confira a seguir: 

  

Hastens 


 
A empresa sueca, fabricante de colchões desde 1852 e já na sexta geração de mestres artesãos, é uma das marcas mais luxuosas do mercado do sono. Fornecedora oficial da família real da Suécia desde 1952, tem uma lista de clientes que inclui personalidades como o rapper Drake e o jogador Cristiano Ronaldo. 

O preço da Hastens é justificado por eles pela quantidade de horas gastas para chegar ao resultado final – os colchões são feitos totalmente artesanalmente – e pelo tipo de material, que são naturais e da maior qualidade, entre eles crina de cavalo, lã, algodão e linho.

Com camas que começam em US$ 10 mil (R$ 51 mil), a estrela da marca é a Grand Vividus. Feita em parceria com o designer de interiores de luxo Ferris Rafauli, seu projeto levou 2anos para ser concluído e cada unidade leva 600 horas de trabalho manual para ser montada e costurada. 

De couro natural e 100% algodão, distribuído por diversas camadas, e molas amarradas individualmente para dar suporte personalizado, custa em torno de  até US$ 500 mil (R$ 2,59 milhões). Detalhe: com lista de espera.

 Outros de seus modelos com preços extravagantes são o Vividus (US$ 210 mil) e o Marwari Special Edition (cerca de US$ 68 mil).

 

Vispring

  

Especializada em camas de luxo desde 1901, a marca britânica tem modelos a partir de US$ 8.500 (R$ 43.500) e podem chegar a US$ 93 mil (cerca de R$ 477 mil) com as opções de personalização. Com 30 anos de garantia e feito artesanalmente, o colchão mais caro é o Diamond Majesty, com três camadas de molas e estofamento de lã, pêlo da cauda de cavalo, lã Shetland, seda, cashmere, fibra de alpaca, bambu e algodão orgânico. No programa de customização, é possível até fazer cada metade da cama de um jeito diferente (mais firme ou suave) para ajustar às necessidades de quem vai dormir em cada lado.

 

Kluft

  

A norte-americana Kluft produz colchões de US$ 2.000 a US$ 30 mil (entre R$ 10 mil e 153 mil). Destaque para o luxuoso Palais Royale, com mais de 2.000 molas e 10 camadas de estofamento feitas com cashmere, lã mohair e de alpaca, algodão orgânico e crina de cavalo. 

O modelo é projetado com um sofisticado sistema de mapeamento corporal, costura lateral tradicional à mão e tufos de estofado inseridos manualmente.

 

Duxiana

  

Outra marca de origem sueca com 96 anos de história, os colchões da Duxiana são escolhidos por hotéis ultra-luxuosos, como o Burj Al Arab Jumeirah, em Dubai.Com preços que começam em US$ 4.495 (R$ 23 mil), seu modelo de cama mais caro e avançado é o The Xclusive, a partir de US$ 27.600 (cerca de R$ 141 mil). 

Ele é um “sistema de dormir” totalmente personalizável, com quase o dobro de molas de um colchão médio (mais de 4.000), distribuídas em várias camadas e que se adaptam ao peso e corpo de cada pessoa. Cada zona do corpo – ombros, quadril e pernas – pode ter uma configuração de firmeza diferente.

 

Avocado

  

Marca norte-americana que tem definido os padrões de produtos de cama sustentáveis, a Avocado fabrica colchões sem químicos, com materiais naturais que ela mesma plantou e colheu. Em 2020, associou-se à marca de bem-estar da atriz Gwyneth Paltrow, Goop, para produzir a cama mais luxuosa (e cara) de seu catálogo. 

Apenas o colchão avulso vai de US$ 24 a 34 mil (R$ 123 a 174 mil), enquanto a cama completa parte de US$ 38 mil (R$ 194 mil) e pode chegar até US$ 58 mil (cerca de R$ 297 mil). Totalmente artesanal, tem 29 camadas feitas com materiais com certificado de orgânicos e origem sustentável, como algodão, lã, alpaca, látex puro, fibras de coco, cashmere, seda e cânhamo. 

Para cada uma das camas, é necessária uma equipe de 12 artesãos e várias semanas de trabalho. São oferecidos 25 anos de garantia. 

Fonte: Forbs

 

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2022

MAIOR DIAMANTE LAPIDADO DO MUNDO É VENDIDO POR US$ 4,3 MILHÕES

 

A casa de leilões Sotheby’s vendeu um raro diamante negro de 555,5 quilates – que se acredita ter vindo do espaço – pelo astronômico valor de US$ 4,28 milhões em um leilão em Londres na última terça-feira (8). A oferta foi fechada em 3,2 milhões de libras, sem contar a taxa ao comprador.

 “O Enigma”, como é conhecido, é o maior diamante lapidado do mundo a ser leiloado, de acordo com o Guinness World Records, com 55 facetas. Ele pesa mais que o “Great Star of Africa” (530,2 quilates) e o “Golden Jubilee” (545,67 quilates). Raros, os diamantes negros são considerados de origem extraterrestre, porque eles contêm pequenas quantidades de nitrogênio e hidrogênio e podem chegar a 2 bilhões de anos de idade.

 “O tamanho, forma e origem do Enigma é que o fazem inovador e fantástico”, diz Tobias Kormind, cofundador e diretor administrativo da joalheria europeia online 77 Diamonds. “Além de ser o maior diamante lapidado do mundo, o Enigma é notavelmente especial por várias outras razões”.

Tradicionalmente, diamantes são precificados pela claridade e ausência de cor. Diamantes negros não são comumente usados em joias e são principalmente usados para perfurações industriais. Mas, nos últimos anos, muitos diamantes negros naturais como o “Black Orlov” (67,5 quilates), o “Amsterdam Diamond” (33,74 quilates) e agora o Enigma têm feito deles uma mercadoria valorizada.

Fonte: Forbs

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2022

AUDEMARS PIGUET CELEBRA 50 ANOS DO MODELO ROYAL OAK

 

Modelo mais icônico da marca é um dos relógios mais procurados do mundo.

A marca suíça Audemars Piguet lançou na última semana de janeiro as tão esperadas edições especiais do Jubilee Royal Oak. Há alguns anos, a indústria relojoeira estava repleta de uma de febre de aniversários, em que tudo era comemorado com edições limitadas, as famosas “heritage”, desde a celebração de dois anos de uma nova tendência até o 15º aniversário de uma determinada cor do mostrador. Mas a comemoração dos 50 anos do Royal Oak pela Audemars Piguet é diferente.

Nenhuma celebração de aniversário está completa sem peças incríveis, que neste caso são o Royal Oak Selfwinding Flying Tourbillon e o Royal Oak Selfwinding Flying Tourbillon Openworked. A Audemars Piguet estreou um Flying Tourbillon em 2018, no relógio Royal Oak Concept e novamente na coleção Royal Oak no ano passado, equipado com o novo calibre 2950.

O CEO da Audemars Piguet, François Henry Bennahmias, também comentou que a marca fará 50 mil relógios este ano, em comparação com os 45 mil em 2021, e que “alguns serão reservados para recém-chegados e novos fãs da marca”. Ele também anunciou que a Audemars Piguet arrecadou US$ 1,6 bilhão (aproximadamente R$ 8,4 bilhões) em receita em 2021. Isso torna a marca bem posicionada para o futuro, quando Bennahmias deixar seu cargo de CEO, o que ele planeja fazer no próximo ano, de acordo com vários meios de comunicação, incluindo “WatchPro” e “Miss Tweed”.

Para mais informações acesse o site: AUDEMARS PIGUET