Bloqueio botao direito mouse

segunda-feira, 31 de maio de 2010

INAUGURAÇÃO DA GALERIE D’ART LÚCIA HINZ NA ALEMANHA


Em maio de 2010 a cidade de Alsdorf, na Alemanha ganhou a Galerie d’art lúcia hinz, localizada na Luisestrassse 49, próximo aos principais centros culturais da cidade.

Para marcar a intenção de internacionalização de seu programa de exposições, os empreendedores da empresa Group4fair, proprietária da galeria, apostam em um processo de realizações de exposições de artistas nacionais e internacionais, contribuindo para a excelência da cidade nas artes visuais.

A galeria foi inaugurada com a mostra Leichtkeit / Leveza.
O designer alemão Dani Reiffert apresentou sua mais nova coleção de joias arquitetura para os dedos de altíssimo nível e uma das peças que mais chamou atenção foi o anel “garota de Ipanema.

A artista Lúcia Hinz, um dos nomes centrais da arte contemporânea internacional, a quem é dedicado o nome da galeria, apresentou uma retrostectiva dos seus últimos dez anos de trabalho.

O evento contou com clientes, amigos e familiares dos artistas e recebeu também a ilustre visita do embaixador Cézar Amaral, do Consulado-Geral do Brasil em Frankfurt, Iva Engels presidente da Fundação Pavel e Alfred Sonders prefeito da cidade, que na ocasião declarou publicamente ser para Alsdorf uma honra ter Lúcia Hinz entre seus habitantes.

Os espaços expositivos são de 200 m², onde seus vistantes podem olhar, sentir e pensar sem palavras.


Para saber mais visite site:
www.galerie-lucia-hinz.de
www.group4fair.com

Texto: Katiuscia Czakaj

Crédito das fotos: Simone Krunas

"Querido Luís, obrigada por divulgar o meu trabalho." - Lúcia Hinz -

NOVA COLEÇÃO “GUCCI LIMITED EDITION”


Gucci tem o prazer de anunciar o lançamento de uma nova "Limited Edition Collection", disponível exclusivamente nas boutiques em Capri, Monte Carlo e Cannes, os principais destinos para turismo e compras internacionais.

Esta coleção é caracterizada por três cores distintas, que inspiram sua cidade correspondente: Capri Green para Capri, Red Sporting para Montecarlo e Lilac para Cannes.

A coleção é composta de quatro propostas elegante:

Sunset Bag: sacola de praia e de compras no ícone GG tecido original com acabamentos em pele, ou na versão Cellarius couro.

Ambos os modelos têm uma dupla alça e detalhes em metal com o logotipo GG e um livro de endereços personalizados com o nome da boutique.

Beauty Clutch: necessaire prática para make-up no ícone GG no tecido original forado em couro ou em couro Guccissima liso, interior personalizado com o nome da boutique.

Foulard: 100% seda pura decorada com o logotipo GG icônico.

Candles: disponível em uma fragrância diferente para cada boutique; Iris Cetim para Capri, Blanche Lavande para Cannes e La Colonia para Monte Carlo, todas apresentadas em um porta velas de couro elegante, personalizada com o nome da boutique.

"Gucci Limited Edition"está disponível em Capri, Monte Carlo e Cannes de maio até o final da temporada de verão 2010.

sábado, 29 de maio de 2010

LUXURIA – O MAIS EXCLUSIVO ENCONTRO SOBRE LUXO


De 23 a 25 de Julho, no Grimaldi Forum, 10 Avenue Princesse Grace, Monte Carlo - Mónaco.

LUXURIA é um encontro muito particular. O mais exclusivo do mundo. Reúne os que criam ultra-luxo e os que vivem dele. Durante três dias, na capital do mundo de tudo o que é elegante, o nome de marcas mais requintadas do planeta vai oferecer um sabor de sua maestria a um cuidadosamente selecionado, a clientela de elite em um ambiente de requinte puro.

LUXURIA é uma experiência, um convite a explorar a quintessência do luxo, com os profissionais que trazem na sua existência ... Cada faceta do verdadeiro luxo sob medida é representado através de uma rigorosa seleção e intencionalmente limitada. Os profissionais presentes são mestres em seus respectivos campos, escolhidos pela sua inimitável "savoir-faire", em alguns casos gerações mais velhas. São famosos artesãos confidenciais, que servem os poucos favorecidos, cada um encarna um profundo respeito pela tradição do luxo, cada um é um administrador da perfeição, empregando os mais nobres materiais.

LUXURIA é uma vitrine para a expressão da paixão, que é sem igual e de âmbito internacional. Este conceito original, oferece um local único, de emoção e prazer, um ambiente de vendas exclusivo para a privacidade dos clientes, ateliês de criação personalizados, serviços cinco estrelas e excepcionais acontecimentos culturais e artísticos. Este prestigiado evento, que está fechado ao público e privado, mediante convite, apenas para os verdadeiros conhecedores, experientes e seletos, compradores, que irão adquirir aquele raro artigo feito sob encomenda em um ambiente extremamente discreto e seguro.

LUXURIA reuniu uma série de parceiros importantes para apoiar este evento. O prestígio das marcas presentes e da clientela torna-o um evento VIP excepcional, longe do "bling-bling" e da "democratização do luxo".

Official Website
www.luxuria-events.com

sexta-feira, 28 de maio de 2010

125 ANOS DA LOUIS VUITTON EM LONDRES



Maison francesa comemora presença na capital britânica com reabertura de flagship store

Em comemoração aos 125 anos da primeira loja fora de Paris, a Louis Vuitton irá reabrir sua flagship na New Bond Street, em Londres. Após uma grande reforma comandada pelo arquiteto Peter Marino, a boutique, instalada nas casas 17 e 18, ganha mais espaço e invade a loja vizinha, antes ocupada pela grife Donna Karan.

Segundo o arquiteto responsável pelo projeto, a idéia foi criar a Louis Vuitton mais luxuosa do mundo. Além disso, a maison traz um forte conceito de arte e cultura. Por lá, terão diversas obras de artistas como Takashi Murakami, Jeff Koons, Basquiat e Richard Prince.

A partir de hoje, a maison Louis Vuitton estará aberta ao público.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

HP FASHION LOUNGE NO SHOPPING IGUATEMI





São Paulo - A HP inaugurou no Shopping Iguatemi um espaço que teve por objetivo destacar a ligação entre a moda e a tecnologia. A oportunidade é, também, parte da parceria da HP com o filme “Sex and the City 2” e ressalta a tendência fashion que a empresa tem apresentado em seu portfólio.

O HP Fashion Lounge é um espaço no qual os visitantes podem experimentar o portfólio da HP, acessar a internet e também conhecer quatro composições, idealizadas pela Revista Vogue, inspiradas nos figurinos e acessórios das personagens do filme atrelando a estes cenários a moda e o design fashion dos produtos HP. "A HP tem desenvolvido computadores, notebooks e desktops, com design inovador e cada vez mais exclusivo. O foco está em atender o estilo de cada cliente, oferecendo o equipamento ideal a sua necessidade", afirma Renata Gaspar, Diretora de Marketing do Grupo de Sistemas Pessoais da HP Brasil. No filme, Carrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker) tem às mãos o netbook HP Vivienne Tam 2, que além das tendências da moda e do design do computador, destaca-se por sua ultramobilidade.

Em exposição no 3º andar do Shopping Iguatemi, que termina hoje, véspera do lançamento de Sex and the City, no Brasil, o HP Fashion Lounge foi inaugurado com um debate sobre a convergência da moda com a tecnologia, que contou com a presença do renomado estilista Ricardo Almeida, Giovanni Frasson, editor da Revista Vogue Brasil e blogueiros e jornalistas que acompanham as tendências de moda, comportamento e tecnologia. Após o debate, os convidados puderam degustar coquetéis inspirados no filme, preparados exclusivamente por uma equipe da Moët & Chandon.

O espaço tecnológico foi reservado, especialmente, para os consumidores interessados nas novas tecnologias e tendências de moda e design oferecidas pelas empresa. Em exposição, além das composições inspiradas nas personagens, a HP disponibiliza aos clientes e visitantes do shopping os seus últimos lançamentos, entre eles, o HP All-in-one, um computador único que propicia ao consumidor um experiência inesquecível.

OBME – ORGANIZAÇÃO BRASILEIRA DAS MULHERES EMPRESÁRIAS


São Paulo - Foi com imensa satisfação que participei, dia 25/05, terça feira do encontro da OBME – Organização Brasileira das Mulheres Empresárias, presidida por Adelina Silveira Alcântara Machado.

Com o intuito de reunir grandes nomes do mercado empresarial paulista, para uma confraternização, troca de informações nas suas respectivas áreas de atuação e mesa de negócios.


Foi uma noite super agradável que teve a comemoração do aniversário da associada Lou Dal Buono.

Obrigado a associada Suely Couto, colunista social e assessora de imprensa que me fez as honras da casa.


*Confira o blog da Suely Couto:

suelycouto.blogspot.com

domingo, 23 de maio de 2010

RESTAURANTE DA CASACOR TERÁ LUSTRE DE R$ 500 MIL


São Paulo - O restaurante Badebec montado na CasaCor contará com um atrativo à parte, além da comida. O arquiteto Jayme Bernardo escolheu lustres que custam R$ 500 mil para iluminar o ambiente.

Este é o nono ano consecutivo que o Badebec participa da CasaCor. O restaurante ocupará uma área de 530 metros quadrados, e será um dos maiores ambientes do evento.

E para o cardápio, a chef Lourdes Bottura preparou alguns pratos típicos de países participantes da Copa do Mundo.

Casa Cor 2010

De 25 de Maio a 13 de Julho
Terça a Sábado e feriados: das 12h às 21h30
Domingo: das 12h às 20h
Jockey Club de São Paulo
Av. Lineu de Paula Machado, 1.075, São Paulo
Tel. 11 3034-6201

www.casacor.com.br

COMO ADAPTAR AS EMPRESAS A NOVA ERA DO LUXO...


New York Times - As empresas que sairão ganhando serão aquelas que conservarão a fidelidade dos muito ricos ao mesmo tempo que se conectam com os consumidores menos endinheirados, mas atraídos pelas marcas de luxo.

Há um ano e meio, enquanto o mundo sofria com os temores e as incertezas desatadas pela pior crise financeira desde a Grande Depressão, o mercado de bens de consumo de luxo seguiu uma trajetória histórica conhecida: enquanto o produto interno bruto (PIB) se contraiu em 2008 e 2009, as vendas de bens de luxo, junto com as bolsas de valores mundiais, caíram abruptamente. Agora que o Fundo Monetário Internacional prevê um crescimento de 4% do PIB global para 2010, e os mercados de ações em todo o mundo estão se recuperando em mais de 60% acima de seus valores mais baixos, a recuperação dos bens de luxo também parece estar a caminho.


Mas muitas empresas de bens e serviços de luxo terão poucas possibilidades de prosperar na nova era de luxo que está por se iniciar, principalmente porque seguem estratégias que não refletem a mudança que aconteceu nos mercados por causa da crise econômica. Por outro lado, as empresas que percebem a mudança no mercado terão um crescimento maior, uma vez que pensem melhor e executem rapidamente uma estratégia cuidadosamente equilibrada para aproveitar essas mudanças. As empresas que sairão ganhando serão aquelas que conservarão a fidelidade dos muito ricos ao mesmo tempo que se conectam com os consumidores menos endinheirados, mas atraídos pelas marcas de luxo.

Já há indícios muito claros de que certos segmentos do mercado de luxo estão ressurgindo de forma modesta, embora outros ainda estejam estanques. Alguns fornecedores de bens de luxo superaram espetacularmente o desempenho dos varejistas de descontos desde o pior momento em março de 2009. A Hermes reportou um crescimento de vendas de 8,5% no ano fiscal de 2009. Na LVMH, embora algumas divisões tenham sido ligeiramente reduzidas, a Louis Vuitton registrou um crescimento de dois dígitos neste mesmo ano. Entretanto, as vendas do Wal-Mart cresceram apenas 1% durante o ano fiscal que terminou em 31 de março de 2010.

Alguns fabricantes de automóveis de luxo também parecem deixar para trás os efeitos da recessão. Na Feira Automobilística de Frankfurt, em setembro de 2009, os aficionados por automóveis puderam se deleitar com uma safra excepcional de carros esportivos de luxo, como o GranCabrio da Maserati, o 458 Italia da Ferrari e o Mulsanne da Bentley, cujos preços estimados são de US$ 150 mil, US$ 250 mil e US$ 300 mil, respectivamente.


A Mercedes-Benz dos Estados Unidos reportou em dezembro de 2009 a venda de 20.025 veículos, o volume mensal de automóveis mais alto da empresa este ano. Marcada pelos altos índices de crescimento na região da Ásia-Pacífico e pela estabilização das vendas na Europa ocidental e nos Estados Unidos, a trajetória de recuperação da Mercedes se manteve ao longo de janeiro e fevereiro de 2010, período no qual o grupo registrou um crescimento de 18,4% em relação ao ano anterior.

A grande nuvem que ainda paira sobre a cabeça dos vendedores de artigos de luxo é que a recuperação provavelmente seja superficial, lenta e desigual, segundo a maioria dos economistas. Alguns estão prevendo que o próprio mercado de artigos de luxo não vá se recuperar plenamente até 2011.

Essas previsões se traduzem numa perspectiva desigual para os mercados de luxo, muito diferenciados e estratificados. Conforme se desvanecem as incertezas causadas pela crise, os muito ricos, que estão menos expostos aos caprichos da economia, já retomaram a aquisição dos produtos mais caros oferecidos pelas marcas mais elitistas. Mas os temores dos consumidores menos endinheirados – o chamado segmento de compradores aspirantes, que representa de 60% a 75% do mercado global de luxo, com um volume de negócios em torno de US$ 225 milhões – não se dissiparam tão facilmente.

Em tempos de prosperidade, os compradores aspirantes correm em massa para as camadas inferior e média dos produtos e serviços das companhias de luxo, o que impulsiona boa parte do crescimento do mercado de luxo em geral. Mas como seu poder aquisitivo foi gravemente afetado durante a recessão, muitos desses compradores reduziram ou eliminaram totalmente seus gastos em bens e serviços de luxo. Para os mercados de luxo, agora a questão principal é se esses compradores aspirantes voltarão a gastar no mesmo ritmo que antes da recessão, ou se a frugalidade se transformará em norma.

Diante da lenta recuperação prevista, as empresas de luxo que tiverem mais êxito serão aquelas que consigam convencer os compradores aspiracioanis a voltar a gastar em suas marcas. Primeiro, terão que mudar o tipo de produtos que oferecem e modificar suas mensagens publicitárias, para atrair novamente os compradores aspirantes ao mercado. Se ainda não o fizeram, as companhias de luxo de sucesso considerarão criar ou adquirir marcas das camadas média ou inferior para atrair os compradores aspirantes que já não podem pagar as marcas de primeira.

Ralph Lauren, Giorgio Armani e Calvin Klein há tempos têm sido bons modelos para criar uma carteira de marcas de várias faixas aquisitivas. Agora, as marcas de estilistas de luxo, como Stella McCartney, Roberto Cavalli e Jimmy Choo seguiram seus exemplos. Jimmy Choo anunciou recentemente que criaria uma coleção “de edição limitada” e preço baixo para a loja H&M.

Em segundo lugar, as companhias que tenham êxito encontrarão a maneira de aumentar a fidelidade do consumidor sem recorrer a descontos abertos ou extremos, prática que pode ser perigosa pois a longo prazo desvaloriza as marcas de luxo. (A Louis Vuitton, por exemplo, destroi as mercadorias não vendidas em vez de oferecê-las com desconto.) Mas as estratégias com mais bom senso ficariam num terreno intermediário: um desconto cuidadosamente dirigido pode melhorar a proposta de valor de uma marca, se for oferecido seletivamente a consumidores leais que gastem muito, de uma maneira que eles vejam isso como um gesto de generosidade em tempos difíceis. As empresas de luxo também podem dar descontos se forem discretas; por exemplo, realizando “vendas secretas” em sites da internet como o RueLala.com e Bluefly.com.

Em terceiro lugar, as empresas de luxo que tenham sucesso tratarão o desafio de reduzir custos e construir sua carteira de negócios como uma oportunidade estratégica para identificar e reforçar suas principais capacidades, particularmente aquelas que lhes permitem oferecer experiências únicas de marca. “Para além das modas efêmeras, os valores de qualidade e durabilidade (…) adquirem particular importância para os clientes que buscam valores sólidos”, escreveu Bernard Arnault, diretor-geral da LVMH no relatório anual da empresa em 2009. Recentemente, a LVHM colocou isso em prática com o relançamento de seu antigo site de comércio eletrônico na internet, o eLuxury, e o lançamento de uma revista de luxo, Nowness. O site oferece criação de marca inspiracional através de artigos cotidianos sobre arte, moda e cultura.

Recuperar-se da recessão será um processo prolongado e abrirá uma nova era de competência. As empresas de luxo que triunfarem serão aquelas que executarão tarefas estratégias para seduzir os compradores aspirantes, mantendo ao mesmo tempo o apetite dos muito ricos por suas marcas. As empresas que conseguirem realizar esse equilíbrio terão lucro durante a recuperação econômica e mais adiante.

*Matéria enviada pelo colaborador e seguidor do blog Vinícius Oliveira.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

ERMENEGILDO ZEGNA - "CENTENNIAL LIMITED EDITION”





Para comemorar os 100 anos de fundação, a grife masculina Ermenegildo Zegna preparou uma coleção especial, intitulada “Centennial Limited Edition”, com produtos distintos, tendo como destaque o terno “Vellus Aureum”, caneta tinteiro OMAS, relógio Girard-Perregaux e abotoaduras em ouro rosa.

Serão apenas 100 peças numeradas de cada um dos produtos, disponíveis apenas nas 20 principais lojas da grife espalhadas pelo mundo

O Brasil recebeu apenas três peças de cada.

www.zegnacentennial.com

Assista ao "Centennial Limited Edition Event"

video

DASLU DEIXARÁ SEDE PARA VIRAR LOJA ÂNCORA DE NOVO SHOPPING


São Paulo - A Daslu, maior boutique de luxo do país, vai abandonar seu palacete neoclássico de 4.800 metros quadrados na Vila Olímpia, em São Paulo, para se tornar a principal loja do novo shopping JK Iguatemi, informou o jornal Folha de S.Paulo. O empreendimento pertence à família Jereissati, que, em março, deixou de ser rival da Daslu no mercado de luxo para tornar-se administradora do complexo Villa Daslu.

A empresária Eliana Tranchesi informou ao jornal ter sido convidada por Carlos Jereissati Filho, presidente do grupo Iguatemi, para "ancorar" a principal loja do novo empreendimento.

Localizado na marginal Pinheiros, na esquina com a avenida Juscelino Kubitschek, o JK Iguatemi terá torres com escritórios e hotel, além de lojas de marcas estrangeiras e grifes brasileiras. Sua inauguração está prevista para 2011.

Fonte: Portal Exame

U.E. PERMITE BLOQUEIO DA VENDA DE PRODUTOS DE LUXO ONLINE


BRUXELAS - Donas de marcas famosas convenceram a Comissão Europeia a permitir que bloqueiem sites de vendas sem loja física para que não distribuam seus produtos, alegando uma necessidade de proteger sua imagem.

Mas o eBay e grupos de consumidores afirmam que a nova regra pode prejudicar o comércio online no momento em que a Comissão busca promover esse mercado.

A cláusula faz parte de novas regras que a Comissão irá adotar agora, substituindo as leis atuais que isentam os acordos entre fabricantes e distribuidoras das rigorosas regras de concorrência da União Europeia, caso concordem com certas exigências.


As empresas - geralmente donas de marcas de luxo - argumentam que a nova regra ajuda a evitar a ação de aproveitadores, empresas concorrentes que podem se beneficiar de sua publicidade sem custo.

"A provisão permite que a indústria do luxo proteja seus investimentos em lojas físicas", disse o advogado de diversas das empresas, Antoine Winkler.

Já um advogado do eBay afirma que o órgão executivo da UE poderia ter feito mais para promover o comércio online.

"A Comissão poderia ter sido mais audaciosa e confiado mais nos consumidores de hoje e como usam diferentes meios de compras de formas complementares", disse o advogado antitruste Stephan Kinsella.

Fonte: Reuters

quinta-feira, 20 de maio de 2010

QUADROS ESTIMADOS EM R$ 1 BI SÃO ROUBADOS EM PARIS








Cinco obras foram furtadas em Paris na madrugada desta quinta-feira

Cinco quadros de grandes mestres da pintura, entre eles Picasso, Matisse e Léger, foram furtados do Museu de Arte Moderna de Paris entre a noite de quarta-feira e a madrugada desta quinta-feira. O valor das obras é estimado em 500 milhões de euros (cerca de R$ 1,1 bilhão).


Segundo fontes ligadas à investigação, citadas pela imprensa francesa, telas de Picasso, Modigliani, Matisse, Braque e Fernand Léger foram furtadas. O furto foi constatado pouco antes das 7h da manhã no horário local (2h em Brasília), antes da abertura do museu, no oeste da capital francesa.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

RELÓGIO PODE SER VENDIDO POR ATÉ US$ 1,23 MILHÕES EM LEILÃO


Um relógio fabricado pela empresa suíça Patek Philippe pode ser vendido por até US$ 1,23 milhões (aproximadamente R$ 2,2 milhões) em um leilão, que será realizado pela Christie`s em Hong Kong em 2 de junho. O evento leiloará apenas relógios e deve arrecadar cerca de US$ 10,5 milhões (R$ 19 milhões).

Conhecido "Sky Moon Toubillon", o modelo 5002P é feito em platina e constituído por 686 partes, alguma microscópicas. Segundo a Patek Philippe, o relógio é um dos mais complexos já feitos pela empresa e mostra até a fase lunar. No entanto, não é à prova d`água.

No ano de 2009, o Patek Phillipe Sky Moon Tourbillon figurou no topo da lista dos 10 relógios mais caros do mundo. O Sky Moon Tourbillon, ref. 5002, é um cronômetro de dupla-face, com caixa em ouro ou platina.

O mostrador frontal exibe calendário perpétuo, hora, minuto, dia, mês e idade da Lua. Os números referentes às horas são em algarismos romanos. O dial em Branco Opaline possui gravadas cruzes Calatrava em alto relevo.

A parte traseira do relógio tem um mapa noturno do céu no hemisfério norte, as fases da lua e do tempo sideral. O Sky Moon Tourbillon é somente o relógio de pulso mais complexo da coleção Grandes Complications atual, mas é também o primeiro relógio de pulso de face dupla na história da marca.

Outras características de Grandes Complications desta obra são o ciclo de ano bissexto, o movimento tourbillon, o tempo sideral e o movimento angular da Lua.
Mais um destaque do Sky Moon Tourbillon é um sistema de sons do tipo “gongos de catedral”, acionado por uma pequena chave deslizante na lateral esquerda da caixa.

O Sky Moon Tourbillon é entregue com um certificado de cronômetro – COSC.

Assista ao vídeo e veja como são fabricados os relógios Patek Philippe:
video

VENDA DO COMÉRCIO DE LUXO NO BRASIL CRESCEU 30% NESTE 1º TRIMESTRE


A crise financeira fez o Brasil entrar definitivamente na rota das grifes de luxo.

No primeiro trimestre deste ano, o crescimento das vendas foi de 30%, quase o dobro do registrado em 2007, quando o setor teve uma expansão recorde de 17%.

Em 2009, ano da crise, esse índice foi de 10% e a projeção de receita para 2010 é de R$ 8,5 bilhões.

No momento, 13 empresas internacionais do ramo estariam negociando a vinda para o Brasil, mas mostraram insatisfação com a alta carga tributária.

O mercado de luxo é impulsionado, principalmente, pela venda de produtos de grife, além do oferecimento de serviços de alto padrão (centros de relaxamento, spas,
restaurantes, hotéis cinco estrelas).

Conclusão:
"Com a estabilidade da economia, o Brasil se torna um mercado emergente de grande potencial.
O ponto negativo disso tudo é realmente a carga tributária, que deve ser revista e elaborada uma reforma frente a um cenário de desenvolvimento econômico otimista, fazendo com que o país cresça com rapidez." - Luís Henrique Sampaio

terça-feira, 18 de maio de 2010

CHANEL ASSUMIRÁ O CONTROLE DE SUAS BOUTIQUES NO BRASIL


A Chanel que tem uma loja no Shopping Cidade Jardim - filial, anuncia que assumirá diretamente as operações de suas boutiques no país.

Antes, era a Daslu que cuidava das operações da Chanel no mercado brasileiro de moda, há 15 anos trazendo os últimos lançamentos.


A grife pretende abrir
mais uma loja até o final de 2010, dessa vez no Shopping Iguatemi.

A estratégia é resultado do importante desenvolvimento que as marcas de luxo vem tendo no Brasil.

domingo, 16 de maio de 2010

DUBAI VAI SEDIAR O MAIOR EVENTO DE JÓIAS E RELÓGIOS DE LUXO DO MUNDO


Se prepare com bastante antecedência, pois a sexta edição do salão “IFJA & IWCF” (International Fashion Jewellery & Accessories Fair and International Watch & Clock Fair), dedicado as mais puras e elegantes jóias, relógios e acessórios do mundo será realizado em Dubai no período de 13 a 15 de dezembro de 2010.

Em sua última edição, o salão registrou a presença de milhares de visitantes provenientes de 69 países, profissionais ou apaixonados por jóias finas, Impacientes em possuir os objetos mais raros e captar as novas tendências deste setor.

Dubai foi escolhido para acolher o salão este ano pois este pais cresceu 25% neste setor nos últimos anos, possuindo assim um mercado atrativo e promissor para as grandes marcas de luxo. “A cada ano, a venda de objetos em ouro, diamantes e prata aumentam 13%”, declarou Chandu Siroya, vice presidente do grupo Dubai Gold and Jewellery.

Site: www.intexdubai.com

sábado, 15 de maio de 2010

CAMPANHA DA LADY DIOR LEVA MARION COTILLARD À CHINA


A atriz francesa Marion Cotillard estreia em nova campanha da bolsa Lady Dior com fotos feitas por Steven Klein em Xangai, na China. A cidade aparece ao fundo com destaque, assim como a primeira campanha em Paris, na qual a atriz surge no topo da torre Eiffel, e a segunda clicada sobre a ponte do Brooklyn, em Nova York.

Desta vez, Marion é puxada pelo braço por um homem que parece ser um agente secreto, dando continuidade à saga de mistério inspirada em filmes noir, em episódio batizado de Lady Blue. A campanha ainda tem vídeo dirigido por David Lynch que estreia no site da marca no dia 15 de maio, mesmo dia que acontece o lançamento da coleção cruise na cidade chinesa.

No filme Marion recita um poema escrito pelo próprio diretor inspirado da Torre de Pérola, que na verdade é uma torre de televisão, e que aparece em destaque na campanha impressa. Ainda está previsto mais um episódio da saga.

www.ladydior.com

Assista o making of:
video

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Parrot AR-Drone: o quadricóptero controlado pelo iPhone


Até alguns anos atrás, alguns dos presentes mais pedidos pelas crianças eram os veículos controlados remotamente por rádio-controle. Eram carrinhos, lanchas, aviões e helicópteros, mas com a chegada de novas modalidades de eletrônicos como notebooks mais acessíveis e outros portáteis mais interessantes, tecnologicamente falando, aqueles brinquedos ficaram abandonados.

Mas isso foi fato até o dia em que alguns nostálgicos e (simultaneamente) aficionados por tecnologia resolveram aliar os bons brinquedos antigos com a tecnologia disponibilizada pelos novos smartphones. Com isso, foram desenvolvidas miniaturas de carros controladas pelo acelerômetro do iPhone. E pensava-se que isso seria o ápice, ledo engano.

Uma nova versão (bem aprimorada) dos veículos controlados remotamente surgiu. É o que está bem claro com a apresentação do Parrot AR-Drone, um quadricóptero totalmente controlado pela tela do iPhone através do acelerômetro do celular e de duas câmeras instaladas no Parrot, que passa imagens em tempo real para o portátil.
Todo o controle do Parrot AR-Drone é realizado graças à criação de uma rede Wi-Fi entre o iPhone (ou iPod Touch) e o quadricóptero. O acelerômetro do iPhone passa informações de três eixos de mobilidade para o Drone, sendo fácil de controlar até mesmo para pessoas que não possuam grande conhecimento ou experiência com produtos tecnológicos.

O quadricóptero (ou Drone, como chamado pelos desenvolvedores) possui um sistema de estabilização automática, que evita acidentes e quedas por falta de estabilidade do objeto voador. Além disso, há a presença de dois jogos baseados em realidade aumentada, dando uma experiência muito mais aprofundada do mundo real na utilização do Parrot. Um dos jogos envolve a destruição de robôs, o outro, disputas entre vários Drones.

Outro game muito interessante que pode ser jogado quando na presença de outro AR-Drone é um simulador de batalhas aéreas, também utilizando os conceitos de realidade aumentada empregados nos jogos single-player. Ambos os quadricópteros travam batalhas destruidoras com os recursos virtuais, e o melhor de tudo é que não há destruição real, pois a ação só ocorre realmente, nas telas dos iPhones, logo, não há prejuízos.

A Parrot informou que nos próximos meses divulgará kits para desenvolvedores que quiserem criar jogos e aplicativos que envolvam o Parrot AR-Drone tanto para iPhone, quanto para outras plataformas.

Brinquedo de gente grande também, quem não vai querer...
www.parrot.com/usa

Veja o vídeo promocional.
video

MÁQUINA DE OURO EM HOTEL DOS EMIRADOS ÁRABES


O Hotel Emirates Palace em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, instalou uma máquina que vende lingotes de ouro. A idéia é do empresário alemão Thomas Geissler

O cliente coloca cédulas de dinheiro no equipamento e pode comprar barrinhas de ouro de cinco e dez gramas e também de uma onça (28,35 gramas), a propria máquina monitora a cotação do metal.

Veja o vídeo da matéria

video

quinta-feira, 13 de maio de 2010

O QUE AS MARCAS DE LUXO DEVERIAM APRENDER COM STEVE JOBS DA APPLE


Steve Jobs além de ser um dos poucos e verdadeiros inovadores na escala mundial, é também um visionário e um comerciante nato. Cada produto que ele criou revolucionou a forma como os consumidores os percebem.

Todos os produtos Apple são elegantes, fáceis de usar e altamente portáteis. Por exemplo, o recém-lançado IPAD não deixa espaço para qualquer tablet PC, independentemente do seu fabricante e modelo. É um computador pessoal com instalações multimídia que os clientes podem levar com eles a toda parte.

Dezenas de marcas de luxo internacionais já tem aplicativos no iPod e iPhone , alguns para compras, outras apenas para publicidade, mas nenhuma das marcas de luxo entenderam até agora o real poder dos iPhones.

O segredo por trás da filosofia Steve Jobs é criar novos produtos que não são necessariamente uma necessidade, mas essa necessidade pode ser educada e nutrida.

Esta é a forma como cada produto da Apple chega ao mercado, sem responder a uma necessidade específica, e não criou ondas de tendências e até mesmo inspirou outras empresas a inovar.


Esta é também a mesma estratégia que as marcas de luxo tem em comum com a Apple, a maioria dos produtos está sendo criada como uma inovação.

Então, é tudo uma questão de marketing e comunicação, para criar o desejo de luxo dos produtos da marca. A principal diferença entre as marcas de luxo e Apple é que eles já não podem se dar ao luxo de comprometer a qualidade e usabilidade, o que não é o caso da Apple.

Por exemplo, o IPAD não está sendo satisfatório com o Flash, que é o programa mais utilizado para visualizar arquivos de mídia. Além disso, o IPAD usa como único navegador de Internet o Safari . No entanto, todas estas questões funcionais, são compensadas pela portabilidade e características de design.

Isso quer dizer que as marcas de luxo ainda podem criar produtos que não precisam ou que nunca se imaginou serem necessários?

A resposta é SIM. No entanto, isso só pode ser alcançado através de uma combinação perfeita entre qualidade e inovação.
Ao contrário, no caso dos produtos da Apple, a inovação não é suficiente no luxo. Oliver Petcu

Conclusão:
"Steve Jobs é um "guru e alquimista" do mercado mundial, pois cria e gera nas pessoas uma expectativa diante dos seus produtos e lançamentos, fazendo com que todos os consumidores se sintam atraidos em adquiri-los." - Luís Henrique Sampaio

Fonte : http://www.cpp-luxury.com/en/what-luxury-brands-should-learn-form-steve-jobs-of-apple_673.html

9 PALAVRAS E EXPRESSÕES CONTRA INDICADAS NO TRABALHO


Em artigo na Forbes, a autora Linda Durre elege as palavras mais negativas de um ambiente de trabalho

Se não tem nada de bom a dizer, fique quieto(a): expressões que denotam pouco interesse devem ser evitadas no trabalho


Em artigo publicado na Forbes.com, Linda Durre, consultora, psicóloga e autora do livro "Surviving Toxic Workplaces" ("Sobrevivendo a Locais de Trabalho Tóxicos", em tradução literal), listou as piores nove expressões e palavras para se dizer no trabalho.


Confira a lista de Linda abaixo:


Vou tentar
O que realmente significa: "não quero fazer, mas não vou dizer isso agora"
Como driblar: "Ponha paixão no seu trabalho", recomenda Linda no artigo para a Forbes. Assim, se o projeto não der certo, provavelmente é porque não era a hora - e não porque você não deu seu melhor.

Tanto faz
O que realmente significa: "quero me livrar desta proposta logo"
Como driblar: evite esta expressão a todo custo. Na opinião de Linda, utilizá-la cria um muro entre você e a pessoa para quem você respondeu. Se não confia em uma proposta, há outras maneiras de dizê-lo.

Talvez e Eu não sei

O que significa: "não quero tomar uma decisão"
Como driblar: claro que ninguém tem certeza do que é preciso fazer o tempo todo. Mas às vezes estas expressões funcionam como uma tentativa de sair da berlinda. Fique atenta para não cometer esse erro.

Eu te dou um retorno

O que significa: "quero adiar o andamento deste projeto"
Como driblar: ao ouvir uma dessa, insista na pergunta: "quando voltamos a nos falar?". E relembre a pessoa que você precisa de um retorno, por e-mail ou mensagem de texto.

Se

O que significa: "quero jogar a culpa nos outros"
Como driblar: evite usar a palavra em um contexto específico, como "se o Fulano fizer a parte dele, eu faço a minha". É preciso entender que cada um tem sua parte - e não se apoiar nisso.

Sim, mas...

O que significa: "não quero me envolver no projeto"
Como driblar: pergunte a si mesma se, ao dizer "sua ideia é ótima, mas...", está listando obstáculos reais ou apenas se apoiando para não participar da execução de um projeto.

Eu acho...

O que significa: "não me importo o suficiente"
Como driblar: não chute. Ao ser perguntada sobre algo, cheque os dados. Se preciso, diga a seu chefe que você vai verificar, e depois dê um retorno a ele.

Vamos ver

O que significa: "quero evitar confronto"
Como driblar: para Linda, esta frase é conhecida de todas nós desde quando éramos crianças. Lembra do quanto era frustrante pedir autorização para um passeio e ouvir seu pai responder "Vamos ver"? Não repita esta experiência no trabalho, seja você chefe ou subordinada. Dê explicações claras e, se precisar de um tempo para decidir, co
mbine um retorno e o cumpra.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

MONTBLANC ELIZABETH I - EDIÇÃO LIMITADA


A rainha Elizabeth I é grande homenageada do Prêmio Montblanc de la Culture Arts Patronage, que a Montblanc comanda desde 1992. Para este ano, foi criada a coleção Patrono das Artes Elizabeth I é composta por dois instrumentos de escrita em edições limitadas.

A edição Patrono das Artes Elizabeth I limitada a 4810 unidades foi elaborada para refletir a vida, o reinado e os brasões de Elizabeth I. A pena, em ouro 18 quilates, é feita à mão e tem a gravura da coroa usada por Elizabeth ao ascender ao trono em 1558. O corpo e a tampa de laca são decorados com os mesmos detalhes que apareciam na roupa da rainha. O clip é folheado em ouro rosé e, sobre ele, um cabochon verde dá o detalhe para a cruz folheada a ouro. A estrela Montblanc, disposta no alto da tampa, é de marfim. Outros detalhes remetem à vida de Elizabeth, como um entrelaçado circundando a banda da tampa que foi inspirado no bordado da capa de um livro de orações e, ainda na tampa, a frase “Video et Taceo”, ou “Eu vejo e fico em silêncio”. A edição chega ao Brasil por R$7.062,72.


Sem previsão de chegada ao Brasil , a outra edição limitada (0a 888 peças) tem corpo e tampa em ouro maciço 750, recoberto de laca vermelha. A estrela no alto da tampa é em madrepérola. O clip é em ouro maciço decorado com uma granada verde.


Vale lembrar que, para garantir exclusividade aos colecionadores, todas as ferramentas de manufatura, especialmente desenvolvidas para fazer cada edição limitada Montblanc, são destruídas ao fim da produção.


O evento acontece em 11 países e faz a ligação cultural e histórica entre o passado e o presente. Além disso, faz tributo a um patrono das artes histórico e também reconhecido um contemporâneo. A monarca britânica, que reinou entre 1558 e 1603, foi escolhida devido à sua relevância no processo de desenvolvimento cultural do reino.


Montblanc

www.montblanc.com

Fonte: Wish Report

DEMANDA DE JÓIAS AUMENTA


A recuperação do mercado de luxo dá mais um sinal de consistência com os resultados da joalheria americana Tiffany.

A companhia anunciou hoje um lucro líquido de US$ 140,4 milhões, ou US$ 1,10 por ação, no quarto trimestre fiscal terminado em janeiro, montante bem acima dos US$ 31,1 milhões, ou US$ 0,25, registrados no mesmo período do ano anterior.

As vendas no trimestre totalizaram US$ 981,4 milhões, o que representou um crescimento de 17%. Apesar de positivo, o resultado veio abaixo do estimado pelos analistas, que esperavam lucros de US$ 1,13 por ação e vendas de US$ 970,9 milhões.

No continente americano as vendas subiram 14%, para US$ 523,5 milhões. Na região Ásia-Pacífico, a alta foi de 14%, para US$ 318 milhões, mas no Japão foi registrado piora nas vendas. Na Europa as vendas cresceram 29%, para US$ 122,9 milhões.

O executivo-chefe da Tiffany, Michael Kowalski, afirmou em conferência que, diante da melhora do desempenho da empresa, pretende aumentar os gastos com marketing neste ano, além de avançar na abertura de lojas e introduzir novas linhas de joias.

As projeções da companhia para 2010 apontam para lucro de US$ 2,45 a US$ 2,50 por ação e crescimento das vendas no patamar de 11%, para US$ 3 bilhões.

terça-feira, 11 de maio de 2010

MOËT & CHANDON LANÇA COQUETÉIS PARA O FILME SEX AND THE CITY 2


Para o lançamento do filme Sex and the City 2, a Moët & Chandon criou quatro coquetéis feitos com o seu champanhe, inspirados nas 4 musas fashionistas do filme: Carrie, Miranda, Samantha e Charlotte.

Os coquetéis serão apresentados na festa de estreia do filme dia 27 de maio e depois estarão em todos os bares mais conceituados e badalados do mundo!

The Fashionista, The Socialite, The Player e Bombshell são as novas estrelas da Moët & Chandon.

*The Fashionista - Carrie é um cocktail que tem uma combinação de sedução livre e romance, temperado com um toque de romã e pétalas de rosa.

Ingredientes:
20ml de suco de romã
90ml Moët Brut Impérial
Uma pétala de rosa pink

Modo de preparar:
Despeje o suco de romã na taça flute. Complete com Moët Impérial. Mecher com uma colher longa, coloque a pétala de rosa pink por cima do drink.

*The Socialite - Chalotte é um clássico, inegavelmente elegante e doce, com notas de Elderberry e açúcar mascavo.

Ingredientes:
15ml de licor de flor de sambuco (Elderflower) ou xarope de açúcar e gotas de água de rosas
90ml de Moët Brut Impérial
Um cubo de açúcar.

Modo de preparar:
Coloque o cubo de açúcar nan taça flute e despeje o licor. Complete com Moët Impérial e mexa com uma colher longa.

*The Player - Miranda é uma mistura sutil de notas cítricas e gengibre bem sensual.

Ingredientes:
10ml suco fresco de limão
10ml licor de gengibre
90ml Moët Brut Impérial
Uma pequena fatia de casca de limão

Modo de preparar:
Despeje o suco de limão na taça flute, despeje o licor de gengibre, complete com Moët Impérial. Mexer com uma colher longa e adicione a fatia de casca de limão.

*Bombshell - Samantha tem um caráter ousado e explosivo combinando o sabor amargo da tangerina com o doce da cereja.

Ingredientes:
15ml suco de tangirina
10ml licor maraschino
90ml Moët Brut Impérial
Cereja ao maraschino

Modo de preparar:
Coloque a cereja na taça flute e adicione o suco de tangirina. Coloque o licor de Maraschino e complete com Moët Impérial. Mexa com uma colher longa.


A aliança estratégica da Moët & Chandon com o filme reafirma o território expansivo de expressão artística da marca que é também o champanhe oficial do Prêmio Globo de Ouro por quase duas décadas, oferece suporte a Deauville Film Festival a mais de dez anos, organiza eventos no Festival de Cannes desde 1950 e tornou-se, em 2009, o champanhe exclusivo do Oscar

VALOR DE MARCA


O método de avaliação das marcas utilizado pela Interbrand é uma fórmula comprovada, direta e profunda, que analisa as marcas através da lente do poder financeiro, da importância de dirigir a seleção dos consumidores, e da probabilidade de gerar receitas da marca em curso. Esse método de avaliação de marcas é muito parecido com os métodos de análise de valor: investigação de suscetíveis ganhos futuros. fundamenta-se em três componentes:

Análise Financeira
Na abordagem da Interbrand, a valorização começa pela previsão das receitas atuais e futuras especificamente atribuíveis aos produtos de marca. São subtraídos os custos operacionais da receita para calcular o lucro operacional de marca. Em seguida, é aplicada uma taxa de lucro para a marca com base no capital empregado, revelando assim os ganhos econômicos.
Todas as análises financeiras são baseadas em informações da empresa à disposição do público. A Interbrand gera uma série de relatórios de analises para construir uma estimativa de consenso para o relatório financeiro.

Papel da Marca Análise
Uma aferição de como a marca influencia a demanda do cliente no momento da compra é aplicada aos lucros para chegar ao valor de marca.
Neste estudo, a análise de desempenho da indústria e do papel que a marca desempenha na condução demanda de clientes é derivada da base de dados da Interbrand, com mais de 5.000 avaliações anteriores realizadas ao longo de duas décadas. Pesquisa de mercado in-house é usada para estabelecer pontos de referência marca individual com os registros internos.

Brand Strength Score
Este é um valor de referência de capacidade da marca de garantir a demanda do cliente (lealdade, recompra e retenção) e assim sustentar lucros futuros, traduzindo ganhando marca em valor presente líquido. Esta avaliação é uma forma estruturada de determinar o risco específico para a força da marca. São comparados os fatores de força da marca, tais como: posição no mercado, a franquia de clientes, imagem e suporte.

sábado, 8 de maio de 2010

VENDIDA A FAMOSA LOJA DE DEPARTAMENTOS INGLESA HARRODS


O empresário de origem egípcia Mohamed Al Fayed vendeu a Harrods, em Londres, para investidores do Qatar

O empresário Mohamed Al Fayed vendeu a famosa loja britânica de departamentos Harrods, em Londres, para investidores do Qatar, de acordo com seus assessoria financeira, a Lazard International. O preço de venda não foi anunciado, mas a BBC e a Sky News divulgaram que o valor teria alcançado cerca 1,5 bilhão de libras (US$ 2,2 bilhões)


A família Al Fayed concordou em vender o Grupo Harrods para a Qatar Holding. Al Fayed, de origem egípcia, se uniu a seus dois irmãos para comprar a Harrods em 1985. Durante um quarto de século, ele foi o controlador do grupo.


Seu filho Dodi morreu juntamente com a princesa Diana em um acidente de carro em Paris, em 1997, e nos últimos anos Al Fayed tem direcionado muito tempo e dinheiro para provar que o casal foi vítima de uma conspiração.


De acordo com o presidente da Lazard International, Ken Costa, depois de 25 anos como presidente da Harrods, Mohamed Al Fayed decidiu se aposentar e passar mais tempo com seus filhos e netos. Segundo ele, Fayed transformou a Harrods em uma marca exclusiva de luxo reconhecida mundialmente. Com sua decisão de se aposentar, ele quis assegurar que o legado e a tradição que ele construiu na Harrods seriam continuados e que a equipe que ele montou fosse encorajada a desenvolver as fundações que ele plantou.


A Qatar Holding será o quinto proprietário da Harrods desde que Henry Charles Harrod abriu uma pequena mercearia em 1849.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

MUSEU COMPRA CARRO MAIS CARO DO MUNDO


Um dos dois únicos exemplares existentes no mundo do Bugatti 57SC Atlantic, produzido em 1936, foi vendido em leilão na semana passada por um valor entre US$ 30 milhões e US$ 40 milhões - o equivalente a algo entre R$ 53 milhões e R$ 71 milhões - e se tornou o carro mais caro do mundo.

O Bugatti foi arrematado pelo
Museu Mullin Automotive, sediado em Oxnard, na Califórnia. Segundo informa o jornal novaiorquino The Wall Street Journal, por trás da operação estaria um grupo de norte-americanos colecionadores de carros clássicos.

O Bugatti 57SC Atlantic é reconhecido como um dos automóveis mais desejados do mundo e fazia parte do espólio do milionário americano Peter D. Williamson, falecido em 2008.


Após esta transação recorde, o carro que antes detinha o "título" de mais caro no mundo, um Ferrari Testarossa ano 1957, caiu para segundo lugar. Esta Ferrari foi vendida no ano passado em um leilão na Itália por US$ 12,2 milhões, algo em torno de R$ 21,7 milhões.

A história do Bugatti 57SC Atlantic começa quando ele foi construído sobre o conceito do cupê Electron Aerolithe, apresentado em 1935 no motorshow de Paris. O carro foi produzido por Jean Bugatti, filho de Ettore Bugatti - fundador da marca de automóveis que leva seu sobrenome.

Como habitual dos modelos Bugatti, o 57SC Atlantic apresentou avanços tecnológicos para sua época e foi considerado uma obra-prima do design. Apenas três carros deste foram fabricados, mas somente dois ainda existem hoje em dia. Um deles é o que foi leiloado agora e o outro pertence ao milionário estilista norte-americano Ralph Lauren, de 70 anos.

CENTENÁRIO DA ERMENEGILDO ZEGNA


Em 2010, comemora-se o centenário de fundação da Ermenegildo Zegna, uma das marcas mundiais mais antigas e ao mesmo tempo mais importantes do luxo masculino, símbolo de status, poder e elegância.

Quando em 1910, na pequena cidade de Trivero, Itália, Ermenegildo Zegna transformou a fiação criada pelo seu pai a meados do século XIX, no Lanifício Zegna, talvez nem pudesse imaginar que após 100 anos, sua marca continuaria na vanguarda do desejo e, se guiando e zelando pelos mesmos princípios instituídos à época da sua fundação.

A busca pela qualidade aliada à inovação e ao empreendedorismo, foram valores estabelecidos por Ermenegildo e que norteiam a gestão do negócio ao longo de todas as gerações dos Zegna.

Num movimento impensado para a época, Zegna foi buscar na Inglaterra a tecnologia necessária para estabelecer o padrão de qualidade que almejava para os seus tecidos. Com todo o maquinário importado, alinhavou parcerias diretas com fornecedores de matérias-primas de altíssima qualidade na Austrália e na América Latina, o que trouxe notáveldiferenciação e imediato reconhecimento para seus produtos.

Visionário e com forte senso comercial e mercadológico, foi o primeiro a assinar os tecidos e já em 1938, exportava para os Estados Unidos, aproveitando da sua fama junto aos alfaiates italianos emigrados para esse país.

A terceira geração Zegna, integrada pelos filhos Angelo e Aldo, assumiu o controle em 1960 e foi responsável pelo início da verticalização do grupo. A Ermenegildo Zegna agora assinava uma linha de alta alfaiataria e uma pret-à-porter. Posteriormente, em 1968, surge uma linha de acessórios e outra de sportswear, propostas que ainda hoje continuam atraindo as novas gerações, filhos e netos dos antigos e atuais clientes da marca.

A diversificação e a inovação do portfólio continuou e em 1972, o Su Misura ("sob medida"), um serviço de alfaiataria personalizado, foi criado com uma oferta que vai além das medidas certas do corpo. Nele, um mundo de exclusividade se abre ao cliente: uma vasta gama de cores, texturas e materiais top quality Zegna, fundamento da marca. Aquele cliente que passar pela discreta, mas não menos imponente porta de madeira escura e entrar no espaço reservado Su Misura, irá se surpreender com o finíssimo 14 Milmil 14 de lã australiana e o Traveller Micronsphere, que não amassa e possui tratamento para repelir líquidos, além de 450 outros tipos de tecidos.

A quarta geração, ainda hoje no comando da marca, deu continuidade ao processo de verticalização e trouxe o varejo como forma de garantir a qualidade também nas vendas. Assim a primeira loja foi aberta em Paris, em 1980, servindo como uma grande vitrine para a marca, e até o final da década, Zegna inauguraria as lojas de Milão e a primeira nos Estados Unidos. Era o início de um sistema capilarizado que hoje conta com 547 pontos de venda, sendo 320 lojas próprias com o trunfo da proximidade junto ao cliente, do controle da ambientação da marca e dos serviços de venda e pós-venda.

O empreendedorismo levou também a marca a ser uma das pioneiras no setor do luxo masculino a abrir operações na China. Já em 1991, a marca inaugurou sua primeira loja, talvez visualizando a importância que esse país viria a assumir para o Grupo Zegna. A China é hoje, a segunda operação da marca e com um ritmo de crescimento que logo ultrapassará a primeira, os Estados Unidos.

Outra contribuição da quarta geração da família foi a expansão do portfólio através de parcerias e licenciamentos que ampliaram a oferta de produtos - sempre alinhados com a qualidade tradicional - completando assim o "estilo Zegna". Desta forma, nos anos 2000, a marca passou a vender óculos, fragrâncias e acessórios de couro, esses últimos resultado de uma joint venture com a Salvatore Ferragamo. E é com discreta satisfação que Paolo Zegna, atual Presidente do Conselho, admite que produz os ternos das marcas Gucci, Armani, Versace e Tom Ford.

A missão atual do Grupo Zegna é tornar a marca líder no segmento luxo de moda masculina, objetivo este que passa por uma globalização cada vez maior. Assim, mercados como Brasil, Índia, Rússia e China são a bola da vez. No Brasil, a marca existe desde 2001, a princípio no regime de franchising, mas a partir em 2008, o Grupo assumiu a operação no país abrindo cinco lojas.

O público-alvo nos mercados emergentes é composto principalmente por jovens com um perfil mais moderno, dinâmico e sofisticado. Nesses países, o espírito da inovação, do empreendedorismo e da vanguarda - que são importantes diretrizes na vida desses novos consumidores - vem de encontro aos valores que na sua época o próprio fundador Ermenegildo Zegna estabeleceu para a marca de sua criação. Esses valores, impregnados nos produtos e serviços Zegna são a materialização do DNA da marca e continuam atraindo "novos" homens pelo mundo todo.

Fonte: Gestão do Luxo

quinta-feira, 6 de maio de 2010

PRIMEIRO HELICÓPTERO COM A ASSINATURA MERCEDES-BENZ


A Mercedes-Benz mostrou o primeiro fruto de sua parceria com a construtora de helicópteros Eurocopter - O modelo EC 145, montado em seu interior pela marca alemã, mais conhecida pelos seus carros esportivos.

O ponto mais alto em viagem pessoal, inspirado pela série de carros R-Class da Mercedes-Benz. Diferente dos carros, porém, este helicóptero que tem velocidade aproximada de 270 Km/h, carrega oito passageiros com muito estilo e conforto, possui TV, frigobar e os necessários porta-copos.


O chão é de madeira, mas os bancos podem ser decorados com os tons que você quiser, ou mesmo um brasão de família, se você for esse tipo de pessoa. E para algo que fica a maior parte do tempo longe do chão, chega a ser uma surpresa os compartimentos para guardar bicicletas ou tacos de golfe na cauda.

Disponível no fim de 2011, e sem preço divulgado por enquanto.