Bloqueio botao direito mouse

sábado, 25 de outubro de 2008

CRISE PASSA LONGE DO MERCADO DE LUXO


Venda de produtos para a classe A segue em alta
Geórgea Choucair

“Crise? Que crise? Pergunte ao Bush.” A fala do presidente Lula há poucas semanas causou polêmica, num momento em que as turbulências nos mercados financeiros entravam em sua fase mais aguda. Hoje se aplica muito bem ao segmento de luxo, que ignora a crise.

Os problemas passam longe da classe A, que segue comprando perfume francês, roupa de grife, imóvel de alto padrão, jóia e carro importado. “O mercado de luxo não tem crise. O cliente compra”, afirma Luis Henrique Sampaio, consultor especializado no setor. O desempenho das atividades voltadas para o público de altíssima renda em Belo Horizonte confirmam a fala do consultor, que acompanha executivos em lojas de grife, joalherias, restaurantes e serviços.


Diversas empresas chegaram a registrar sentido inverso nos negócios: aumentaram as vendas. “É como se fosse uma bolha de indignação. O cliente que perdeu muito dinheiro na bolsa de valores vem comprar um carro para se presentear com algo que compense. É como se fosse uma forma de amenizar o sofrimento”, afirma Miguel Albino, superintendente-geral da Audi Carbel.


Na concessionária, o modelo mais barato da Audi custa R$ 132 mil. Os mais caros podem chegar a R$ 700 mil. Em outubro, as vendas da loja aumentaram 40% em relação aos meses anteriores. “Pode ser que seja uma venda sazonal, mas a procura cresceu”, observa Albino. Para este ano, a concessionária estima crescimento de 30% nas vendas, em relação a 2007. “Mas já para 2009 o mercado não deve ficar tão aquecido”, pondera o executivo. Nas joalherias, a situação não é diferente. As marcas mais luxuosas vendidas na Manoel Bernardes, como as suíças Rolex e Omega e a alemã Mont Blanc, não sofreram nenhum arranhãozinho nas vendas. “As compras dos produtos de marca são emocionais, não são racionais.


Os produtos mais genéricos, que têm valor mais baixo, foram os que sofreram queda de procura”, afirma Manoel Pereira Bernardes, presidente da joalheira. É o caso, por exemplo, das carteiras, vendidas nas lojas por preços a partir de R$ 80. “O tráfego diminuiu na loja, mas as vendas de produtos com preços acima de R$ 8 mil, como as jóias com pedras brasileiras, não tiveram queda na procura”, observa Bernardes. Perfumes e cosméticos importados também estão com as vendas em dia. “O perfume é amante da mulher e do homem.


Com crise ou sem crise, a pessoa quer andar perfumada. Não houve queda de vendas das nossas marcas internacionais”, afirma Daniela Chen, diretora da Importadora Chen. Ela observa, no entanto, que os produtos estão com os preços da cotação do dólar antiga. “Os fornecedores ainda não repassaram a alta da moeda. As vendas estão mantidas porque os preços não foram reajustados”, diz. No segmento de vestuário, o cenário é o mesmo. “Ainda não sentimos o efeito da crise”, afirma Érika Mares Guia, diretora da loja M&Guia.


Ela ressalta, no entanto, que os produtos já tinham sido importados antes da alta do dólar. “Tenho prazo até o lançamento da coleção de inverno para ver como a situação vai ficar. Se o dólar não cair, pode ser que comece a atrapalhar as vendas”, afirma Érika. Com ou sem crise, a marca começa a se lançar no projeto de “democratizar o luxo”, com produtos da marca a preço médio de R$ 475.


A franquia em Belo Horizonte da grife de luxo de armários e closets Ornare conseguiu bater a cota de vendas. “E as encomendas para o Natal já estão 20% maiores do que no ano passado. As pessoas querem estar com a casa pronta para o fim de ano. Não sentimos queda nas vendas”, afirma Márcia Mancini Araújo, proprietária da loja. A marca faz móveis de alto padrão para quartos, salas, home theaters e escritórios. Está presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Belo Horizonte e em Miami, nos Estados Unidos.


Equilíbrio No segmento imobiliário, a crise tem dois lados. “Temos aquele cliente que espera para ver como vai ficar a situação, com medo da crise. Outros estão mudando os investimentos e voltando as aplicações para os imóveis”, afirma Ítalo Gaetani, diretor-superintendente da construtora Castor, que atua há 26 anos no mercado de alto luxo. Os imóveis da construtora têm preço a partir de R$ 1,8 milhão. As vendas para 2008, segundo Gaetani, devem ficar entre 20% a 25% acima de 2007. “Até agora não fomos atingidos pela crise. Nossa expectativa é de que não haja mudança nos números. Mas somos uma economia global. O dia em que a bolsa e o dólar estiverem estáveis, vou enxergar um patamar mais equilibrado”, diz.


*Minha participação na matéria veiculada no Jornal Estado de Minas - 25/10/08

25 comentários:

Sabrina disse...

Querido Luís, sempre com opiniões e textos inteligentes. É isso aí..o mercado de luxo agradece!
Parabéns por tua participação na matéria do jornal uai.
Beijos e saudades.
Sucesso hoje e sempre!

FOCUN disse...

Quem é tão respeitado na área em São Paulo, não poderia deixar de opinar num jornal de grande circulação em Belo Horizonte e Minas Gerais como é o "Jornal Estado de Minas".
Falou quem sabe e entende do mercado.
Parabéns.

Maria Cristina disse...

Oi querido, como diz Vicente Termote :"luxo é superar as expectativas com coisas que o consumidor nem sequer tinha pensado".
Quem tem muito $$$$$, acaba por nao ser afetado pela crise!
Japoneses, Italianos, Franceses sao os q mais gastam com luxo,chega a 1% do seu rendimento mensal( saiu em algum jornal q nao me lembro).parece tb q o luxo nao é apenas comprar um acessório LV mais ou menos 1500 euros, mas poder ter um servico de excelencia...!!!
Adoro seus comentários, sao muito up e inteligentes!bjs

Nilce disse...

Seu texto acerca do mercado de luxo está um luxo! Beijos

Klau disse...

Mon cher, essas crises passam longe de pessoas antenadas, pro-ativas e empreendedoras como vc...
Sua elegância é nata...
Adoroooooo!!!
Bjooo!!!!

naninha1963 disse...

Parabéns Luis!
Um belo texto onde demonstra o quanto está antenado com nosso mundo.
Bjusssssssss

Valéria disse...

O Brasil é um país de infinitas possibilidades! Rico em sua estrutura e com um povo admirável!
Passaremos por esta crise ilesos...

pedro oswaldo disse...

Parabéns pela participação na matéria.
Vc é o "cara"...PhD no assunto!

Abraço.

Marga disse...

Parabens por mais uma matéria interessante.
Penso que com a crise atual o mercado do luxo como mencionado, não sofre alterações afinal isso também é luxo. As pessoas que se habituaram com o luxo, com aquilo que faz bem e necessario como perfume e joias apenas continuam comprando com mais cautela eu penso. Cuidar da aprencia e do bem estar faz parte de todas pessoas e isso hoje é uma exigencia em muitas atividades, há aqueles que matem as aparencias e outros que não se preocupam com as repercuções da crise, pois podem s dar esse luxo. O importante de tudo isso é que se matem iformado e por isso sabem até onde podem continaur com o luxo.Se fossemos analisar a classe baixa e media ai sim poderiamos analisar um reflexo maior pois quem tem pouco, prefere continuar com pouco do que perder tudo e ai diminuem as compras e aquisiçoes ou aguardam janeiro que vem com promoçoes e facilidades de novos investimentos. A troca de um carro por exemplo neste momento é mais caro em função das ferias onde todos procuram trocar de carro. Mesmo assim esse setor esta aquecido um exemplo disso é na cidade onde moro onde as concessionarias da chevrolet ou fiat vendem em média 150 veiculos novos ao mes e o transito esta cada dia pior e isso porque estamos em crise...rsrs
Parabens pela matéria, é de muito valor, pois esta abrangendo varios setores da economia o que mostra que se a crise esta afetando não esta em todos os setores, classes ou estados.

Abraço.
Margarete

Lya disse...

Pessoas inteligentes como você Luís fazem toda diferença...eu sou mineira..uai e agora mais ainda sua admiradora...Beijinhos

Bia disse...

Querido Luís, parabéns pela materia, sempre muito bem em suas colocações.
E em um unico contexto QUEM TEM ...TEM....
Parabens e sucesso sempre.
Bju

leandromarques418 disse...

Querido Luís,meus parabéns por tua participação nesta matéria de um grande e respeitado jornal mineiro. Abraço e saudades. Parabens..............

Sabrina disse...

Adorei a matéria!
E sua participação foi incrível, um reflexo do seu brilhante trabalho apresentando uma opinião bem formada!

Parabéns!
Bjinhos.

Brucce C disse...

Parabéns Luis, sempre com comentários inteligentes e esclarecedores. Muito sucesso e felicidades. Grande Abraço, Brucce Cota.

Tatiana disse...

Impressionante o mercado, não? Alguns vêem o verão como oportunidade para o picolé outros para viajar. Crises sempre existiram, as tendências também. Isso tudo gera criatividade, inovação então, novas oportunidades aparecerão.

LOVELY JOSY disse...

Olá meu querido, meus parabéns pelo belo trabalho, seus textos maravilhosos, pessoas como voce que faz em nosso país a diferença, pq acredita e tem potencial para isso adorei, sinto muito orgulho ter um amigo como voce bjuss

Vinícius disse...

Parabéns por mais uma participação sua em uma matéria jornalística.
Sua opinião é fundamental.

Grande abraço

Bruna disse...

Querido,
Adorei a matéria, ainda bem que você vem ainda prestigiar a sua terra, e nos trazer seus conhecimentos.
Fica claro a sua cultura, sabe o que faz e gosta, por isso tá aí o seu sucesso!
Parabéns!
beijocas
Bruna Jardim

Lilla disse...

Oi Luiz Henrique,
Você falou, tá falado!
Ninguém melhor do que você, um homem com tanta experiência no mercado de luxo, para nos dizer como esse setor está se comportando na atual crise mundial.
Muito obrigada pelas informações!
Li e adorei!
Bjs,
Lila Carvalho.

Lilla Carvalho disse...

Luís Henrique,
Você falou, tá falado!
Somente um profissional com tanta experiência no mercado de luxo para nos dizer como está reagindo esse mercado diante da crise mundial.
Adorei a matéria!
Bjs.

elisete disse...

Querido Luis,
Como sempre seus textos são inteligentes e bem colocados.Crise...que crise...isso sempre existirá...o que não podemos é deixar de comprar...rsrs...você é nota 1.000
Sucessos sempre!
Beijos

LOVELY JOSY disse...

Olá Meu querido Luis, como é bom sempre ter um amigo, que nos deixa lisonjeados com seu sucesso, para mim dou meu parabéns sempre, e tenho o maior orgulho em te-lo amigo, pela sua humildade, sinceridade, seriedade, portanto os méritos são seus parabéns adorei a reportagem deixo aqui meu grande abraços e peço a DEUS continue iluminando pessoas como voce, pq pessoas como queque precisamos em nosso pais, bjkocas super carinhosas obrigada por ser meu amigo adorei

Dandan disse...

Very Goooooooood!!!!!
Adorei. continue sempre brilhando.

Bjos Danubia Andrade

claudia__42 disse...

Parabéns pela matéria,um profissional com sua categoria chegaria ao topo,vc merece e um vitorioso...beijos

Sílvia Yama disse...

O mercado de luxo não sofre com a crise!
Em meio à crise, Marc Jacobs aterriza em SP atrás de seus clientes brasileiros que não economizam em NY.
A Honda não tem carros à pronta entrega em SP, vista à procura de seus carros.
O ramo joalheiro sofreu apenas uma pequena gripe... Não quebra... No pior dos casos, empata!
O setor imobiliário ri à toa em SP com seus empreendimentos imobiliários de alto padrão!
Vende-se mais Chanel no Brasil que na própria França...
"A crise passa longe do mercado de luxo"
Nunca haverá crise para um mercado que vende auto estima, poder, vaidade!!!!!